O desembargador Luiz Sérgio Neiva de Lima Vieira suspendeu a ação penal referente à segunda fase da Operação Publicano, deflagrada em junho deste ano. O magistrado atendeu uma reclamação feita pela defesa de José Luiz Favoreto Pereira, ex-delegado das Receita Estadual em Londrina, no começo de agosto.

Favoreto, que foi detido no primeiro semestre, foi preso novamente na manhã de ontem, em Londrina, na terceira fase da Operação Publicano. Nesta fase, o ex-delegado é acusado de ter “lavado” R$ 6 milhões. O dinheiro teria sido recebido como propina.

Na reclamação ao Tribunal de Justiça, a defesa de Favoreto alega que a citação dos deputados estaduais Ratinho Júnior (PSC) e Tiago Amaral (PSB) pelo auditor Luiz Antônio de Souza, no acordo de delação premiada, compromete a investigação pelo juiz de primeira instância.

Como deputados, os dois têm como foro o Tribunal de Justiça Ratinho Júnior está licenciado da Assembleia Legislativa e ocupa o cargo de secretário estadual, que também tem foro privilegiado.