O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, negou a existência de qualquer crise entre o governo e o Judiciário por causa do episódio envolvendo o ex-presidente Lula e o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes. “Não existe crise”, afirmou, embora evitando dar opinião sobre o atrito.

“É evidente que tenho as minhas impressões, mas, se um ministro expressar suas impressões, vira opinião de governo”, afirmou nesta quarta Cardozo ao deixar a Câmara, onde esteve reunido com o presidente da Casa, Marco Maia (PT-SP), para tratar de votação de projetos sobre segurança pública. Mendes acusou o presidente Lula de pressioná-lo para adiar o julgamento do mensalão.