O presidente da Comissão de Meio Ambiente do Senado, Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), anunciou hoje que pretende realizar na próxima semana uma audiência pública para discutir com autoridades o incêndio que aconteceu no sábado na base da Antártida. O acidente, que deixou praticamente destruída a estação, deixou dois militares mortos.

Rollemberg pretende convidar os ministros da Defesa, Celso Amorim; e da Ciência e Tecnologia, Marco Antonio Raupp; o diretor do Centro Polar e Climático da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Jefferson Simões, maior referência da ciência brasileira na Antártica, e pesquisadores envolvidos em estudos no continente.

O senador disse que o presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia, Eduardo Braga (PMDB-AM), já concordou em realizar o encontro entre os dois colegiados. A senadora Ana Amélia (PP-RS) sugeriu ainda estender a reunião também para a comissão de Relações Exteriores, presidida por Fernando Collor (PTB-AL). Rollemberg ficou de consultá-lo.

Para o presidente da Comissão de Meio Ambiente, tudo indica que o acidente decorreu de uma fatalidade. Rollemberg admitiu ter havido uma diminuição de recursos no programa no último ano, mas negou qualquer relação entre isso e o incêndio. “O volume de recursos não guarda relação com o acidente”, afirmou, ao ressaltar que o importante é manter a “regularidade” na distribuição dos recursos.

Contudo, o líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PR), afirmou que o incêndio revela “a falta de manutenção” e “o abandono do projeto de Antártida”. “Os recursos são ínfimos para um projeto dessa importância”, criticou o líder tucano.

Além de concordar com a audiência pública, Álvaro Dias apresentará um requerimento para obter informações do governo sobre o funcionamento do programa.

O senador tucano disse que ainda não há condições para se responsabilizar o governo “pontualmente” pelo acidente. “Seria uma irresponsabilidade nossa afirmar isso”.

A intenção de Rodrigo Rollemberg é realizar o encontro na terça-feira da semana que vem, mas o dia certo da audiência dependerá da conversa com Collor e com a concordância das autoridades envolvidas. “Vamos buscar esclarecimentos sobre o acidente”, afirmou o senador socialista.