Foto: Átila Alberti/O Estado

Ovilse Nogueira: ?Ensaio diário?.

A poucas semanas do Carnaval, Antonina, no litoral do Paraná, já está praticamente preparada para receber os foliões. A cidade possui uma das comemorações mais tradicionais do Estado, mas o perfil dos visitantes é um pouco diferente em relação às outras praias. Antonina é a opção para quem quer descansar durante o dia, com programas especiais, e curtir a folia à noite. E preparar o Carnaval leva tempo.

A organização começou na metade do ano passado, após o Festival de Inverno – outro importante evento do município. A programação deste ano começa na sexta-feira, dia 16 de fevereiro, com os bailes públicos. Eles vão acontecer na Avenida Dr. Carlos Gomes da Costa. No sábado, está programado o desfile de blocos folclóricos. As escolas de samba de Antonina entram na avenida no domingo, a partir das 21h. Neste ano, participam as escolas Batel, Batuqueiros do Samba, Brincá pra Não Chorar, Leões de Ouro e Filhos da Capela. Na segunda-feira, acontece o tradicional cortejo das Escandalosas. O público também poderá curtir a folia nos bailes públicos, assim como na terça-feira.

O Carnaval em Antonina não tem trio-elétrico. A intenção é dar um perfil diferenciado às festas da cidade. ?A identidade é diferente do Carnaval que acontece em outras praias. Para cá, não vem o público que gosta de trio elétrico. É um Carnaval para a família, mas que reserva tempo para descansar e para curtir?, comenta o secretário municipal de Turismo, José Luiz Velloso. Para mostrar um pouco mais sobre o Carnaval da cidade, foi montada uma exposição sobre os 60 anos da presença de escolas de samba na cidade. A mostra está na estação de trem de Antonina.

Escola de samba

Uma das participantes do Carnaval deste ano, a Escola de Samba Batel, está comemorando 60 anos de atividades. Os preparativos estão a todo o vapor, para que tudo fique pronto no domingo de Carnaval. As fantasias foram confeccionadas por diversas costureiras. No galpão, os carros alegóricos começaram a ser montados. Todos os dias, no mesmo local, acontecem os ensaios da bateria. ?Trabalhamos o ano inteiro, mas o fluxo maior é neste período. Os ensaios tiveram início em novembro, em dias intercalados, mas agora acontecem todos os dias?, explica Ovilse Nogueira, tesoureiro da escola.

O tema deste ano é comunicação. Oitocentos participantes vão desfilar na avenida, com a meta de conquistar o título em uma data importante na história da escola.

Cidade se transforma nesta época

Na época de Carnaval, a cidade se transforma. A população triplica em seis dias. A expectativa da Prefeitura da cidade é receber entre 120 e 150 mil pessoas neste período. ?A cidade realmente se transforma, tanto na quantidade de pessoas quanto economicamente. Os hotéis ficam lotados e o comércio tem uma boa rentabilidade?, afirma João Velloso.

Se à noite o folião se diverte, durante o dia ele pode descansar bastante. Antonina tem um ar bucólico. Mas o folião pode também fazer atividades diferenciadas, como o ecoturismo, passeio histórico, ir até o mirante e andar de trem (que sai de Morretes), entre outros.

Para quem procura um Carnaval ainda mais sossegado, outra opção é Morretes, também no litoral do Estado. Antigamente, os dias de folia na cidade aconteciam em três clubes. Neste ano, o Carnaval vai acontecer apenas no Clube Operário, mas também estão programadas festividades na rua em frente ao clube. Em Morretes, mais de oito blocos organizados pelos próprios moradores percorrem as ruas da cidade. Alguns deles têm mais de 10 anos.

?A característica do Carnaval de Morretes também é familiar. É uma festa mais tranqüila, sem o agito comum de outros locais. Cada cidade tem o seu público. Morretes é a cidade para quem não gosta de bagunça. Durante todo o tempo, se consegue manter a calmaria e a limpeza?, revela Carlos Alberto Gnatta Neto, secretário municipal de Turismo.