Assim como os servidores estaduais, que invadiram a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), os agentes penitenciários do Paraná também vão manifestar seu descontentamento com a proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governador Ratinho Junior. A categoria decidiu fazer greve a partir da próxima segunda-feira (9).

Leia + Servidores invadem Assembleia para protestar contra mudanças na previdência

Segundo o Sindicato dos Agentes Penitenciários do Paraná (Sindarspen), que representa a categoria, os agentes vão manter a greve até que a tramitação da proposta seja suspensa da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). A categoria pede também a inclusão das emendas apresentadas pelos servidores da segurança pública, como a garantia de integralidade e paridade para todos os servidores que entraram na carreira até a data em que a nova Previdência entrar em vigor.

Durante o período de greve, conforme o sindicato, estão suspensas as movimentações de presos dentro das unidades penais. Atividades como entrega de mantimentos, visitas, banhos de sol e atendimentos jurídico, social e educacional também não serão realizadas. Serão feitos apenas os serviços essenciais, como alimentação, atendimento de emergências médicas e cumprimento de alvarás.

Caso a justiça determine o fim da greve dos agentes, a categoria promete entrar em ‘operação padrão’. Assim, serão cumpridos apenas as determinações previstas no Caderno de Segurança do Departamento Penitenciário do Paraná.