Nesta quarta-feira (25), Dia Nacional do Doador de Sangue, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reforça a importância das doações, principalmente durante o enfrentamento da pandemia, que acabou causando uma diminuição nos bancos de sangue. Em Curitiba, nesta quarta, a unidade do Hemepar está decorada com faixas e haverá uma distribuição de lembrancinhas com a classificação dos doadores e receptores de sangue por tipo sanguíneo.  

O Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) registrou queda no número de voluntários. Entre 2018 e 2020, de 1º de janeiro a 31 de outubro, a unidade notou uma queda de 13% nas doações de sangue.

LEIA TAMBÉMEm decreto, prefeitura suspende todas as cirurgias eletivas em Curitiba

Para a diretora do Hemepar, Liana Labres de Souza, a diminuição preocupa pois os tratamentos para câncer, transplantes, doença falciforme e talassemia não foram interrompidos. “Estes pacientes necessitam de doações constantes para dar continuidade ao tratamento. Quando o estoque fica baixo é muito preocupante”, revelou ela.

Mesmo com o enfrentamento da pandemia, o secretário de estado da saúde, Beto Preto, apela para que os voluntários não deixem de doar. “Mais do que nunca, nesta data gostaríamos de agradecer as doações e solicitar que quem puder que faça a doação e nos ajude a continuar salvando vidas”, disse o secretário.

Com a queda do isolamento domiciliar e a maior circulação de pessoas nas ruas, a demanda por doação de sangue aumenta para atender também os pacientes que se envolvem em acidentes de trânsito. Este tipo de atendimento tem aumentado em todos os hospitais do estado.

Agendamento online

Para evitar filas e aglomerações, o Hemepar está realizando o agendamento online para doação de sangue. Os voluntários podem acessar o link da Secretaria Estadual da Saúde e escolher a melhor data e horário para fazer a doação.

No mês de dezembro, o Hemepar vai passar a atender em dois domingos, 6 e 13, das 7h30 às 14 horas. A proposta é atrair doadores que não têm disponibilidade para doar de segunda a sábado.

Doação de plasma hiperimune

Quem teve coronavírus e já está recuperado pode ajudar na recuperação de outros infectados pelo vírus doando o plasma hiperimune – parte do sangue onde ficam os anticorpos que combatem a doença.

Para ser um doador, a pessoa deve estar recuperada entre 45 e 180 dias do teste positivo, não ter sido submetida á intubação e a ventilação mecânica e não ter tido gestações e nem recebido transfusão de sangue.

A proposta da doação de plasma hiperimune é evitar o agravamento da covid-19 em casos recentes, diminuindo assim a necessidade de uma transferência para uma unidade de terapia intensiva (UTI).