O Escritório Regional da Secretaria de Estado do Trabalho, Emprego e Promoção Social está denunciando o desrespeito no transporte coletivo urbano em Ponta Grossa com as pessoas com mais de 65 anos de idade e portadoras de deficiência. Elas são impedidas pela empresa concessionária de passar a catraca e obrigadas a permanecer na parte da frente dos ônibus. ?A gratuidade é um direito que estas pessoas conquistaram ao longo de suas vidas ou pela luta em superar a deficiência?, denuncia o chefe do Escritório Regional, João Barbiero, ao encaminhar um documento solicitando providências ao Ministério Público.

?É inadmissível que os idosos e portadores de deficiências tenham que ficar ?empilhados? nos ônibus do transporte coletivo. São apenas quatro assentos na parte da frente disponíveis. E eles são obrigados a ficar em pé, pelo desrespeito dos usuários?, critica Barbiero.

Orlinda Braga tem 80 anos de idade e precisa pegar ônibus constantemente para ir ao médico. ?Às vezes a gente está se sentindo mal e tem que ir em pé?, lamenta.

O aposentado Ivonei Gonçalves, 69, diz que mesmo possuindo o direito à gratuidade muitas vezes acaba pagando a passagem para ter assento. ?É um dinheirinho há mais que gasto quando não encontro banco?, relata. Dona Judite dos Santos, 39, acompanha o filho de 12 anos de idade portador de deficiência à escola, onde realiza tratamento diariamente: ?Tem gente que não respeita e muitas vezes temos que dar lugar para pessoas idosas?, denuncia.