O tesoureiro Delúbio Soares e o secretário-geral Silvio Pereira permanecem na
direção do Partido dos Trabalhadores (PT). O assunto foi discutido na reunião
extraordinária do Diretório Nacional do partido ontem (18), na capital paulista,
mas não chegou a ser colocado em votação, conforme informou o presidente da
legenda, José Genoino.

"O diretório nacional, por unanimidade, não
deliberou sobre o assunto, porque, diante dos esclarecimentos desses
companheiros, o diretório assume a defesa dos seus dirigentes e do Partido dos
Trabalhadores", ressaltou. Delúbio Soares e Silvio Pereira foram citados pelo
presidente do PTB, Roberto Jefferson, como participantes de suposto esquema de
pagamento de mesada a parlamentares do PP e PL em troca de apoio
político.

Segundo Genoino, os dois petistas prestaram esclarecimentos
sobre as relações com os partidos aliados e a participação do governo em acordos
políticos e eleitorais. "As acusações são infundadas", afirmou. "O patrimônio do
PT, o patrimônio do companheiro Lula e a história do PT serão defendidos. Vamos
para as investigações porque nós confiamos na verdade."

O dirigente negou
também ter ameaçado sair da direção do PT, caso o pedido de afastamento de
Delúbio e Silvio fosse aprovado. Emitiu nota oficial e se disse indignado com a
manchete do jornal O Estado de S. Paulo que noticia a suposta ameaça.
Genoino afirmou que em nenhum momento cogitou renunciar.