A Administração da Klabin S.A. comunicou ontem que firmou um contrato de empréstimo no montante de R$ 575 milhões com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES e um grupo de bancos privados, para fazer frente aos vencimentos da dívida de curto prazo da companhia. Essa operação tem caráter de um empréstimo-ponte e compõe uma operação financeira de mercado, estruturada na forma de debêntures não-conversíveis, no montante aproximado de R$ 1,2 bilhão, com garantia firme de subscrição e previsão de conclusão até o fim deste ano.

A informação foi prestada por Miguel Sampol Pou, diretor-geral da Klabin, em entrevista em São Paulo, e segundo ele esse financiamento é parte do processo de readequação do perfil de endividamento da Klabin, que além do BNDES contou com o apoio do Unibanco, Bradesco, Itaú, Banco BBA, J.P.Morgan e ABN Amro, equacionando assim o fluxo de pagamento dos financiamentos de curto prazo da companhia.

Sampol reiterou ainda o compromisso da Klabin, bem como o seu firme propósito de reduzir e alongar o perfil do endividamento da Companhia””. Trata-se, no seu entender, de uma prioridade e, para isso, será utilizada ao máximo a geração operacional de caixa, serão racionalizados os investimentos (concentrando-se em manutenção e aumentos marginais de capacidade) e poderão ser vendidos ativos num montante entre US$ 250 milhões e US$ 300 milhões.