As necessidades de empréstimos da Grécia estão cobertas até meados de março, afirmou o primeiro-ministro grego, George Papandreou, em uma entrevista neste domingo.

Perguntado se a Grécia vai tentar vender dívida na próxima semana, Papandreou afirmou que, “pelo que sei, nós não temos neste momento uma necessidade de empréstimos. Nossas necessidades de empréstimos estão cobertas até meados de março”.

“O que estamos dizendo simplesmente é que precisamos de ajuda para que possamos tomar empréstimos à mesma taxa que os outros países, não a altas taxas, que de fato acabam com nossa possibilidade de fazer mudanças e cortar nosso déficit”, disse o primeiro-ministro.

Segundo uma pessoa próxima à situação, a Grécia vai emitir bônus de 10 anos no início da próxima semana, entre 3 bilhões de euros e 5 bilhões de euros. A fonte afirmou que a Grécia espera que seus vizinhos da União Europeia comprem os papéis se não houver demanda suficiente do mercado.

Papandreou destacou que seu governo tem amplo suporte na Grécia para seu plano de austeridade e que ele vai determinar mais medidas de corte de dívida para este ano se isso for necessário.

Segundo Papandreou, até agora a Grécia está dentro da meta de cumprimento dos seus planos, “mas se nós precisarmos de medidas extras nós vamos tomar medidas extras para reduzir nosso déficit em quatro pontos porcentuais”.

A Grécia teve um déficit orçamentário de 12,7% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2009 e prometeu à União Europeia que vai reduzir o déficit para 3% do PIB até 2012.

O primeiro-ministro reiterou que a Grécia não está pedindo um socorro e descartou a possibilidade de o país pedir a suspensão temporária de sua participação na zona do euro. “A Grécia não será suspensa e isso não está sobre a mesa”, disse. As informações são da Dow Jones.