Se o 13º salário já pingou na conta e nem fez cócegas, o tanque tá vazio e você tá louco de vontade de dar um rolê com a turminha, seus problemas acabaram. Nesta sexta-feira (29), o Sindipetro fará um protesto diferente em Curitiba e vai distribuir gratuitamente vale-combustíveis de R$ 20 para os motoristas que forem ao Posto Petrobras Petrochile, localizado na esquina da Rua Chile com a Avenida Marechal Floriano Peixoto.

Será apenas um cupom por veículo, para abastecimento de gasolina ou diesel, sem necessidade de efetuar outros gastos no estabelecimento. “Queremos apenas conversar com os motoristas e explicar nossa opinião sobre a política de preços da Petrobrás. Depois daremos o vale para que o motorista abasteça”, explicou Mario Dal Zot, diretor-presidente do Sindipetro.

+ Leia mais: Conheça João Furmman, o ” Encantador de Pombos” de Curitiba

“Queremos chamar a atenção da sociedade para essa indexação do preço dos combustíveis no Brasil ao mercado internacional. A gente recebe em Real e paga o combustível em Dólar. Temos condições de abastecer o mercado interno com nossa própria produção, mas as refinarias estão operando com carga baixa de produção. Isso está errado”, explicou Dal Zot.

Para ele, o governo pode e deve intervir nos preços, pois está ficando mais caro. Vale lembrar que nas últimas duas semanas o preço da gasolina foi reajustado duas vezes. “Esse ano a gasolina subiu 28%. Não tem quem resista. O preço do gás então, tá demais. São 13 milhões de desempregados no Brasil, então tá complicado”, contou Roni Barbosa, secretário jurídico do Sindipetro.

+ Veja tambémQuíntuplos de Chopinzinho (PR) gastam 50 fraldas e mamam 15 vezes por dia

Segundo Mário Daz Zot, a Repar – Refinaria da Petrobrás que fica em Araucária, região Metropolitana de Curitiba – pode aumentar sua produção para dispensar as importações. “Com a mesma quantidade de funcionários, podemos produzir 30% a mais, o que diminuiria a dependência do que vem de fora. Com mais produto no mercado, invariavelmente o preço cairia”. O Sindipetro diz que pressiona a Petrobras internamente, mas precisa do apoio da sociedade.

O protesto deve acontecer das 9h às 18h, ou enquanto durarem os vales-combustíveis.