Servidores em greve há 15 dias “invadiram” as galerias da Assembleia Legislativa do Paraná após se sentirem provocados pelo deputado Missionário Arruda (PSL), após uma fala sua em plenário em defesa da proposta de reajuste feita pelo Governo do Paraná. Os grevistas fizeram um ato na manhã de ontem com servidores de todo o Paraná e acompanhavam a sessão do lado de fora. Após a fala de Arruda, no entanto, o clima esquentou e deputados chegaram a ser impedidos de sair do prédio.

Após tomarem as galerias da Assembleia, cerca de 400 servidores resolveram dormir no prédio. Nesta manhã, a polícia segue fazendo um acompanhamento na casa.

+ Atenção! Você está a um clique de ficar por dentro do que acontece em Curitiba e Região Metropolitana. Tudo sobre futebolentretenimentohoróscopo, blogs exclusivos e os Caçadores de Notícias, com histórias emocionantes e grandes reportagens. Vem com a gente!

O deputado defendeu a reposição de 5,09%, dividida em parcelas até 2022, oferecida pelo governador Ratinho júnior. Os servidores em greve forçaram algumas portas da Alep e tomaram conta das galerias superiores, com palavras de ordem gritadas a todo instante. O presidente da Assembleia, deputado Ademar Traiano (PSDB), chegou a suspender a sessão, que foi retomada após retomada a ordem entre os grevistas.

O deputado Missionário Arruda escapou da prensa dada pelos servidores, afinal deixou o plenário antes da invasão. O clima ficou tenso e deputados e servidores da Alep ficaram apreensivos. Policiais do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) foram chamados para garantir a segurança no local. A todo instante os servidores puxavam um coro de “Fora Feder”, pedindo a demissão do Secretário da Edução do Paraná, Renato Feder.

A APP Sindicato transmitiu toda a movimentação dos servidores ao vivo pelo Facebook.