“Essa semana a gente ficou muito chateada, eu pessoalmente, a gente tem um histórico aqui de gente séria e aqui a gente não brinca. Fiquei muito triste quando uma pessoa falou que a gente fica o dia inteiro reunido para pintar uma bandeirinha”, desabafou a secretária municipal de saúde, Márcia Huçulak, na transmissão do boletim epidemiológico de sexta-feira (21), que apontou mais 18 mortes e 297 novos casos confirmados de covid-19, em Curitiba. Com a atualização dos dados, divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a capital contabilizou 29.269 casos e 891 óbitos provocados pelo coronavírus, desde o início da pandemia, no mês de março.

LEIA TAMBÉM – Justiça cobra explicações do governo pelo fim da quarentena restritiva no Paraná

As frases da secretária aconteceram devido a alteração da cor da bandeira que passou de laranja para amarela em Curitiba, na última terça-feira (18). A mudança ocorreu, segundo a SMS, após a análise de nove indicadores técnicos, que vão desde o nível de propagação da doença, capacidade de atendimento da rede e números de óbitos (ver lista completa abaixo). Na visão da secretária, pessoas estariam relacionando a mudança com o atual “momento do ano”, como afirmou Márcia, sem no entanto, mencionar diretamente a palavra eleições.

LEIA MAIS – Homens e idosos: veja quem são as principais vítimas do coronavírus em Curitiba

“A gente olha o indicador com muita seriedade e muita responsabilidade com a sociedade curitibana. O nosso painel não foi questionado por uns 120 dias. Esta semana foi dito que nós viramos amarelo por conta do momento desse ano, fazendo uma ilação desrespeitosa com a nossa equipe. Nós temos um trabalho consistente, todos os dias nós sentamos aqui, faça chuva ou faça sol, nós estamos aqui desde o início da pandemia, desde janeiro na verdade”, disse Márcia Huçulak.

Ainda no começo da semana, o prefeito Rafael Greca (DEM), o prefeito postou no Facebook que tomou a decisão de voltar ao alerta amarelo após o “Comitê Curitibano de Técnica e Ética Médica ” constatar a queda de 20% no número de novos infectados e 20% de diminuição no número de óbitos. Segundo Greca, também foi verificada redução na cadeia de transmissão do vírus. “O índice de replicabilidade que já foi de “1 para 4 pessoas” passou para menos de 1″, escreveu o prefeito.

Indicadores do que determinam as mudanças de bandeira de Curitiba

Propagação da doença

  • Número de casos novos confirmados nos últimos sete dias em relação ao número de casos novos confirmados nos sete dias anteriores.
  • Número de internados por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) em UTIs no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de pacientes de covid-19 confirmados em leitos de UTI no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de pacientes de covid-19 confirmados em leitos clínicos no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de casos confirmados nos últimos sete dias para cada 100.000 habitantes.
  • Número de óbitos nos últimos sete dias para cada 100.000 habitantes.

Capacidade de atendimento

  • Número de leitos de UTI disponíveis para atender covid-19 no dia.
  • Número de leitos de UTI disponíveis para atender covid-19 no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.
  • Número de leitos de enfermaria disponíveis para atender covid-19 no dia em relação ao mesmo número de sete dias atrás.