Um protesto de moradores da Vila Torres fechou a Avenida Comendador Franco na altura do cruzamento com a Rua Guabirotuba, no bairro Jardim Botânico, na noite desta segunda-feira (16). Os manifestantes ocuparam as duas faixas da avenida e atearam fogo em diversos objetos, como pneus e móveis, por volta das 17h40, para evitar a circulação dos veículos. A manifestação durou cerca de 50 minutos e por volta das 18h30 equipes da Polícia Militar dispersaram os manifestantes.

Mulheres e crianças ocuparam a pista com cartazes nas mãos, reclamando principalmente de uma suposta violência policial em um caso que terminou com a morte de dois homens no último sábado, no mesmo bairro.

Foto: Reprodução/Google Maps
Trânsito em todo o entorno do bloqueio tem paralisações. Foto: Reprodução/Google Maps

Com o fechamento da via, o trânsito sofreu reflexos em todo o entorno. Por volta das 18 horas, além da Comendador Franco, que tinha ao menos 1,5 quilômetro de fila nos dois sentidos, as vias que dão acesso à rua, como a Guabirotuba, a Rua Alberto Twardowski e o Viaduto do Colorado estavam com o trânsito parado. O trânsito apresentou lentidão também na Linha Verde, entre o Viaduto da BR-277 e a Avenida Marechal Floriano Peixoto, um trecho de cerca de 4 quilômetros.

O protesto acabou por volta das 18h30, quando um esquadrão da Rondas Ostensivas de Natureza Especial (RONE) entrou em ação e dispersou os manifestantes usando bombas de efeito moral. Equipes do Corpo de Bombeiros, que estavam no local, trabalharam por cerca de 15 minutos para conter as chamas.

Ação truculenta

Segundo relatos de moradores da área, a ação do Batalhão de Operações Policiais Especiais (BOPE) foi violenta, e usou força que não seria compatível com o protesto, formado principalmente por mulheres e crianças. Há relatos de que alguns manifestantes teriam sido baleados com arma de fogo, fato que não foi confirmado.

Segundo a Polícia Militar, não há relatos de confrontos entre policiais e manifestantes e também não há registros de feridos. Ninguém foi preso ou apreendido na ação, de acordo com a corporação.

Segunda vez

Este é o segundo protesto do gênero nas últimas semanas. No começo de abril, moradores da Vila Torres paralisaram a Rua Guabirotuba e a Avenida Chile. Na ocasião, equipes da PM e da Setran ficaram a postos no local das manifestações mas não chegaram a intervir. A movimentação foi pacífica.

Moradores da Vila das Torres protestam e acusam BOPE de forjar tiroteio