Dois homens foram presos em flagrante na noite de terça-feira (11) pela Polícia Civil em uma fábrica de balões, no bairro Aristocrata, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. No local a equipe policial encontrou grande quantidade de material que seria utilizado na confecção e até na produção em massa de balões. Em um período de estiagem (veja imagens impressionantes), a queda de um balão pode provocar um incêndio de grandes proporções, bem como trazer risco às rodovias, como ocorreu na BR-277, num acidente que vitimou 8 pessoas. Além disto, a região onde ocorreu a ação policial é próxima ao Aeroporto Internacional Afonso Pena, o que leva ainda mais perigo por causa dos aviões.

+Leia mais! Rodízio da Sanepar em Curitiba e RMC fica mais severo a partir de sexta. Veja o que muda

 A denúncia chegou para as autoridades policiais informando que ao fundo de um terreno, objetos que são usados para confeccionar balão eram manuseados constantemente. No local, a Polícia encontrou dois homens e um vasto material como maçaricos, buchas e papéis especiais.

Matheus Laiola, delegado da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), ficou surpreso com a quantidade de produtos e até uma bandeira de 30 metros foi encontrada. “Vimos balões de 4 metros, 15 metros e uma bandeira de 30 metros, além de apetrechos como buchas, maçaricos e papeis especiais. As duas pessoas que estavam no local foram autuadas em flagrante por crime de soltar balão. Em um dos casos, arbitrei fiança de 30 salários mínimos e outra virou inafiançável, pois além de soltar balão, estava com uma placa de trânsito de São José dos Pinhais”, comentou Laiola.

+Leia mais! Envenenamento de cães em praça do Centro Cívico, em Curitiba, assusta frequentadores

Fabricar, vender, transportar ou soltar balões que possam provocar incêndios é crime ambiental. A pena de detenção é de um a três anos de reclusão.

Perigo de incêndios

O delegado mostrou preocupação com este tipo de crime. Um balão desgovernado pode cair em um local e provocar um incêndio. Além disto, com a estiagem que o Paraná atravessa, qualquer tipo de uso abusivo de água tem impacto na torneira da população.

“Estamos em um período de estiagem, com muitas queimadas. O local é próximo do aeroporto e um impacto em uma aeronave pode ser fatal e tivemos a tragédia envolvendo vários veículos na BR-277 em razão de uma neblina com a união de fumaça, possivelmente originada em um incêndio. A gente clama para que a população denuncie pelo telefone 181. Soltura de balão é irresponsabilidade, pois pode cair em um hospital ou em um centro de distribuição de energia e deixar as pessoas sem luz”, completou Matheus Laiola.