As obras do Ligeirão, no trecho da Praça do Japão até o Terminal do Pinheirinho, devem começar na próxima semana, é o que promete a prefeitura de Curitiba. Durante os trabalhos, os ônibus que fazem esta ligação irão trafegar normalmente, sem a necessidade de paralisação no sistema de transporte que funciona no eixo sul. O tempo estimado de obras é de 12 meses. A linha Norte-Sul estava prevista para estar operando entre os terminais Santa Cândida e Capão Raso – um terminal antes do Pinheirinho – ainda em 2018.

LEIA MAIS – Pandemia fez 47 mil paranaenses perderem emprego formal, mas junho aponta melhora

No eixo das Avenidas República Argentina e Winston Churchill serão três lotes de obras para construção da estrutura de ultrapassagem da linha direta. Serão feitas ainda pavimentação em concreto nos pontos de parada, novas calçadas e a requalificação de 26 estações-tubo no corredor de transporte para ligação completa do Ligeirão Norte-Sul do Santa Cândida ao Pinheirinho. 

Do total a ser investido, R$ 15,98 milhões fazem parte dos lotes 10.1 e 10.2 para as obras nos dois lados da via das estações Silva Jardim, Carlos Dietzsch, Itajubá e também Dom Pedro I e Morretes. A empresa Betacem Construções e Empreendimentos Ltda será a responsável pelas obras neste trecho.

LEIA AINDA – Curitibanos de coração, atleticanos morrem após ataques em pescaria no Pantanal

Outros R$ 13,49 milhões serão investidos nas intervenções das estações Petit Carneiro, Sebastião Paraná, Vital Brasil, Hospital do Trabalhador, Pedro Gusso, João Bettega, Santa Regina e Ouro Verde sob a responsabilidade do consórcio formado pelas empresas Compasa do Brasil e BR Infra Construções Ltda.

Segundo o prefeito Rafael Greca, a obra irá reforçar a mobilidade na cidade. “Ampliamos os investimentos em transporte público e em infraestrutura viária e cicloviária. Já colocamos em operação o primeiro trecho do Ligeirão, cuja infraestrutura estava pronta e sem funcionar. Seguimos em frente em favor da mobilidade segura e sustentável”, disse Greca.

LEIA TAMBÉM – Caixa libera auxílio emergencial para 5,8 milhões nesta quarta. Veja quem tem direito ao benefício

Com recursos próprios do município, os investimentos serão contrapartida ao financiamento para o Ligeirão no corredor Leste-Oeste (Pinhais/Campo Comprido), em negociação junto ao New Development Bank (NDB).

Desvio

As obras serão pontuais e não irão paralisar o sistema de transporte que funciona no eixo sul. Durante a realização dos trabalhos nas estações, os ônibus farão desvio pela pista lenta do eixo estrutural, devidamente sinalizada. Para a operação da Linha Direta de biarticulados no trecho Sul serão feitas obras de infraestrutura de ultrapassagem nos dois sentidos das estações-tubo Petit Carneiro, Silva Jardim, Dom Pedro I, Morretes, Carlos Dietzsch, Itajubá, Sebastião Paraná, Vital Brasil, Hospital do Trabalhador e Pedro Gusso no eixo da Avenida República Argentina. E ainda as estações José C. Bettega, Santa Regina e Ouro Verde, na Avenida Winston Churchill. Em conjunto com a estrutura será implantada ciclofaixas.

Praça do Japão

Não é a primeira vez que a Praça do Japão sofrerá algum tipo de impacto no transporte coletivo. Em 2018, a prefeitura passou a utilizar a linha Ligeirão Santa Cândida-Praça do Japão. Aproximadamente 117 mil passageiros utilizam este transporte direto que tem funcionamento até a estação Bento Viana e retorno ao Santa Cândida.