Depois de exatamente uma semana, os estudantes que ocupavam o prédio da reitoria da Universidade Federal do Paraná (UFPR) saíram do espaço na manhã desta terça-feira (17). Segundo a UFPR, a desocupação só foi possível depois de uma longa negociação, conduzida por um grupo de pró-reitores e pela chefia de gabinete da Reitoria, com os estudantes.

O grupo protestava contra a demissão de 13 funcionários terceirizados do Restaurante Universitário (RU). Eles tinham invadido os departamentos de Logística (Delog) e de Licitações e Contratos (Delic) e só aceitaram sair mediante uma comissão que foi criada para apurar o que denunciavam.

“Foi uma vitória do diálogo. Os estudantes entenderam a necessidade de desocupar o lugar, assim como a disposição da universidade para ouvir e os limites da instituição para atender a pauta de reivindicações”, explicou a pró-reitora de Assuntos Estudantis, Maria Rita de Assis César, através da nota divulgada pela UFPR.

Reuniões com transmissão na internet

Desde a ocupação, foram feitas cinco reuniões entre representantes da Reitoria e dos estudantes – todas transmitidas ao vivo e gravadas pela UFPR TV, obedecendo à determinação do reitor Ricardo Marcelo Fonseca de dar absoluta transparência ao processo. Por iniciativa da Reitoria, também participaram dos encontros representantes do Sinditest (sindicato que representa os servidores técnico-administrativos), da ApufPR (que representa os professores) e do Diretório Central dos Estudantes (DCE).

A última reunião acabou com um acordo que prevê a formação de uma comissão para avaliar as reivindicações apresentadas pelo grupo, todas relacionadas aos trabalhadores terceirizados da UFPR. Da comissão – que já foi criada por uma portaria editada nesta terça-feira pela Pró-Reitoria de Administração – vão participar, além de representantes da UFPR, dois estudantes do grupo e representantes do DCE, do Sinditest e da ApufPR.

Paralelamente, a UFPR aguarda o relatório do Ministério Público do Trabalho (MPT) sobre as inspeções que, com o aval da Reitoria, estão sendo realizadas desde março nas quatro unidades do RU em Curitiba. As conclusões desse relatório servirão de base para eventuais ajustes, tanto por parte da UFPR quanto da empresa que administra os restaurantes.

Saindo do prédio

A desocupação começou cedo, por volta das 9h, e foi acompanhada por representantes da UFPR. Pouco depois das 10h, os servidores dos dois departamentos – que vinham trabalhando de forma improvisada em outros locais – voltaram aos seus postos. As faixas foram removidas e equipes de limpeza ficaram responsáveis por organizar o espaço novamente.

Servidores da UFPR são feitos ‘reféns’ em protesto no prédio da Reitoria