“Acabou, não temos mais nada. Vendemos tudo o que tínhamos para consertar o carro e vir do Rio [de Janeiro] para Curitiba, era nosso único bem. Não sei como vamos fazer para transportar nosso filho”, o relato emocionado é de Cristiele Mathias, de 36 anos, mãe de Adrian Mathias, de 14 anos que faz tratamento contra leucemia no Hospital Pequeno Príncipe, em Curitiba. Na noite de domingo (12), a família que está sem trabalho, teve o Fiat Uno prata ano 1994 que usava para levar o menino ao hospital furtado em frente a um supermercado do bairro Pinheirinho.

+ Leia mais: Menina de 3 anos é encontrada sozinha debaixo de viaduto na Linha Verde

Cristiele conta que foi com o marido ao supermercado por volta das 21h para comprar leite para o filho e que ficou pouco tempo dentro do comércio. Ao voltar para onde o carro havia sido estacionado, na Rua João Rodrigues Pinheiro, eles não encontraram mais o veículo. “Não ficamos nem 15 minutos no mercado. A gente parou na rua, porque seria rápido. Quando voltamos e não achamos o carro bateu o desespero”, diz.

Segundo Cristiele, o carro era muito importante para o tratamento de Adrian, que tem baixa imunidade e fica debilitado com a medicação que toma contra a doença. “Ele não pode pegar ônibus é arriscado para sua saúde e ele ainda passa mal com os remédios, que são muito fortes. Além, disto não temos condições de ficar pegando Uber”, explica a mãe, que está desempregada, assim como seu marido e filho mais velho.

Além de ser fundamental para o transporte do adolescente, no momento em que foi levado, o carro ainda guardava documentos da família, entre eles, os papeis que seriam usados para o saque do seguro desemprego de Gerson Mathias, 38 – marido de Cristiele – e para fazer a matrícula dos filhos do casal na escola.

O carro foi furtado no domingo (12), no Pinheirinho. Foto: Cristiele Mathias/Arquivo pessoal.

Em busca de emprego

Cristiele, o marido, Adrian e os outros três filhos do casal, de 19, 15 e sete anos, chegaram do Rio de Janeiro há cerca de um mês. A família está hospedada na casa da irmã dela, no bairro Tatuquara, em Curitiba. E apesar da ajuda que recebem dos parentes, segundo Cristiele, conseguir um trabalho para ela, para o marido ou para o filho William, é muito importante. Só assim eles poderão continuar na cidade, dando o suporte necessário para Adrian.

+ Leia ainda: Com demora do Detran-PR na entrega, motoristas apelam à taxa extra para ter documentos

“Meu marido pode trabalhar como garçom, gerente ou em qualquer outra função. Eu posso trabalhar no que aparecer, em uma lanchonete, supermercado ou atendimento ao público. Meu filho William de 19 anos também estava trabalhando no Rio, antes da gente se mudar. Ele também aceita o que vier”, afirma Cristiele.

Como ajudar?

Na tarde desta segunda-feira (13) a família esteve na Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos de Curitiba, para fazer o boletim de ocorrência. Quem tiver informações sobre o Fiat Uno prata 1994, de placas KNA 0477, pode repassar para os policiais que investigam o caso, pelo telefone (41) 3314-6400.

Já para quem quiser oferecer um trabalho ou ajudar a família de Adrian, o telefone de contato é (41) 9544-6857.