Depois de quase dois meses o quadro na ocupação de leitos adultos exclusivos para covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) do SUS em Curitiba demonstra um equilíbrio. A capital paranaense está com 355 leitos adultos, sendo que 64 estão desocupados, o que representa 82% de ocupação, segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Apesar deste número, dois hospitais estão com 100% de ocupação para os casos de coronavírus.

O pior momento em Curitiba até então ocorreu no dia 19 de julho. Na oportunidade, 94% das UTIs estavam com pacientes e a cidade já em bandeira laranja, como deve seguir pelo menos até o próximo dia 17. Verdade que novos leitos foram criados em hospitais, mas as autoridades de saúde já sinalizam que o momento mais crítico possa ter passado.

Márcia Huçulak, secretária municipal de saúde, acredita que a redução nos quadros mais graves acontece principalmente ao isolamento social daquelas pessoas que estão infectadas, mas que não transportando o vírus para um outro ambiente. “É a menor taxa de ocupação dos últimos 40 dias e a gente começa a sentir uma diminuição dos casos graves. Importante agradecer as pessoas, pois 87% dos casos são leves que requer isolamento domiciliar. Ao interferir na cadeia de transmissão, menos pessoas adoecem e consequentemente a demanda diminui no atendimento”, comentou a secretária.

Ocupação em Hospitais em Curitiba e RMC

Segundo os dados da Secretária de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), apenas dois hospitais em Curitiba estão com 100% de ocupação nas UTIs adulto. Cruz Vermelha e Trabalhador tem vagas somente nas enfermarias. Já no Erasto Gaertner, o quadro é o mais tranquilo com 29 leitos livres contabilizando aí UTI e enfermaria. Confira abaixo, a ocupação dos leitos nos hospitais de Curitiba e região metropolitana.

Ocupação outros Hospitais em Curitiba, litoral e região metropolitana

Cruz Vermelha: 14 leitos de UTI com 14 ocupadas (100%). Enfermaria com 15 vagas e 13 ocupados (87%)

Hospital das Clínicas: 71 leitos de UTI com 68 ocupadas (96%). Enfermaria com 83 vagas com 65 ocupados (78%)

Hospital São Vicente: 5 leitos de UTI com 4 ocupados (80%). Enfermaria com 8 vagas com 6 ocupados (75%)

Hospital Evangélico Mackenzie: 33 leitos de UTI com 32 ocupados (97%). Enfermaria com 48 vagas com 40 ocupados (83%)

Hospital do Idoso: 62 leitos de UTI com 53 ocupados (85%). Enfermaria com 90 vagas com 76 ocupados (84%)

Erasto Gaertner: 10 leitos de UTI com 3 ocupados (30%). Enfermaria com 30 vagas e 8 ocupadas (27%).

Hospital Santa Casa: 65 vagas de UTI com 51 ocupados (78%). Enfermaria com 70 vagas com 66 ocupados (94%)

Hospital do Trabalhador: 22 vagas de UTI com 22 ocupados (100%). Enfermaria com 34 vagas com 20 ocupados (59%).

Hospital de Reabilitação: 52 vagas de UTI com 44 ocupados (85%). Enfermaria com 32 vagas com 20 vagas (63%)

Hospital Regional do Litoral: 20 leitos de UTI com 10 ocupados (50%). Enfermaria livre com as 10 vagas desocupadas

Hospital do Rocio em Campo Largo: 125 leitos de UTI com 114 ocupados (91%). Enfermaria com 212 leitos com 103 ocupados (49%).

Hospital São Lucas Parolin em Campo Largo: 8 vagas na UTI com 7 ocupadas (88%).Enfermaria sem vagas.

Hospital Municipal São José dos Pinhais: 10 vagas de UTI com 9 ocupadas (90%).