A colônia árabe libanesa de Curitiba está se mobilizando para arrecadar doações de mantimentos e insumos diversos para ajudar as vítimas da explosão ocorrida no dia 4 de agosto em Beirute, capital do Líbano. A tragédia deixou centenas de mortos, milhares de feridos e outras centenas de milhares de desabrigados.

A iniciativa tem o apoio da Câmara de Comércio Brasil-Líbano. “Estamos pedindo ajuda para toda a comunidade. O que ocorreu foi um estrago sem dimensões. Será maravilhoso se pudermos contar com toda a ajuda em Curitiba”, diz a médica Cilene Karam, uma das voluntárias da iniciativa.

+ Leia mais: Mulheres vítimas de violência podem pedir socorro em farmácias de Curitiba

Na capital paranaense, os pontos de coleta estão concentrados nos locais abaixo. A preferência é pelo recebimento de medicamentos e alimentos não perecíveis.

Restaurante Le Liban – Rua Augusto Stresser, 1570 – Hugo Lange

Paróquia São Jorge – Rua Itacolomi, 1840 – Portão

Restaurante Tahine – Rua Joaquim da Silva Sampaio, 172 – Mercês

Restaurante Cantinho Árabe – Rua Schiller, 1967 – Hugo Lange

Embaixada pede ajuda

A Embaixada do Líbano no Brasil também emitiu um pedido de ajuda humanitária listando itens prioritários. Dentre eles estão produtos alimentícios, em especial insumos básicos como trigo, farinha, grãos e comidas enlatadas de todos os tipos. Também são necessários materiais de construção diversos, em razão do tamanho da destruição causada pela explosão, incluindo equipamentos elétricos e vidro.

O contato oficial pode ser realizado pelo whatsapp: +55 61 99943-7880 ou ainda pelo e-mail: sec.embaixador@libano.org.br.

De acordo com a representação, doações em dinheiro devem ser direcionadas diretamente à Cruz Vermelha Libanesa. O site pode ser acessado aqui. Já a Associação Médica Brasileira está trabalhando na captação de recursos para comprar medicamentos, como insulina, antibióticos, anticoagulantes, anestésicos, analgésicos e ansiolíticos. A lista completa de medicamentos necessários pode ser conferida aqui.

+ Veja também: “Cenário seria ‘infinitamente pior’ se seguíssemos Bolsonaro, diz Mandetta

Para outros tipos de doações também é possível entrar em contato com a Câmara de Comércio Brasil-Líbano (CCBL) pelo WhatsApp: +55 11 9 5485 4899 – e-mail: associados@ccbl.com.br.

Foi aberta ainda uma conta-poupança emergencial em nome da entidade que concentrará os recursos e a respectiva prestação de contas. De acordo com a CCBL, os valores arrecadados serão direcionados para a compra de alimentos, medicamentos e outros produtos de urgência indicados pelas autoridades libanesas.

Câmara do Comércio Brasil-Líbano
CNPJ 62.370.887/0001-67
Banco Bradesco
Agência 099 – Conta-Poupança 302324-9

Supervisão

Para garantir que os recursos cheguem para quem realmente precisa, uma vez que a região concentra muitos conflitos, todas as doações serão enviadas sob supervisão dos organismos diplomáticos brasileiros e libaneses, também com o auxílio do Comitê Internacional da Cruz Vermelha, no Líbano.

Libaneses no Brasil

Uma pesquisa apresentada em julho pela Câmara de Comércio Árabe-Brasileira mostra que o Brasil abriga quase 12 milhões de árabes e descendentes, sendo que 27% deles, a grande maioria, são de origem libanesa.

Em declaração para a Agência de Notícias Brasil Árabe, o presidente da Câmara Árabe Brasileira, Rubens Hannun, reforçou a mobilização da imensa comunidade libanesa no país. “O mundo todo está sensibilizado, mais ainda o Brasil, particularmente em função da imensa população libanesa que tem. Essa população de libaneses e descendentes é completamente integrada. O Brasil se vê meio árabe, meio libanês. Acredito que todo brasileiro tem pelo menos um conhecido libanês ou um conhecido árabe. As imagens são muito impactantes e isso está sensibilizando as pessoas”, afirmou.


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?