Os comerciantes da Rua Voluntários da Pátria, no Centro de Curitiba, estão desesperados desde julho, quando começou a obra de revitalização na via, na quadra entre a Praça Osório e a Rua Emiliano Perneta. A intenção da prefeitura é reformular a rua para ser vantajosa para os pedestres e, consequentemente, aos lojistas.

Mas, enquanto a obra é executada, o movimento no comércio da quadra despencou, forçando uma das lojas a ter de demitir uma funcionária. A rua está bloqueada para carros e a calçada está com uma faixa reduzida para os pedestres.

Além disso, o acesso para quem caminha na região está com vários trechos com pedras soltas e terra no percurso. Quem passa pela via prefere andar pelo trecho que já está pronto. “A pessoa que vem aqui pela primeira vez vai notar que está ruim de caminhar e vai evitar passar novamente, o que traz prejuízo para nós”, protesta o proprietário de uma loja na rua, que não quis se identificar.

+ Leia mais: Previsão do tempo para sábado (24/08) em Curitiba e região

Com as pessoas mais afastadas das calçadas, o comércio da região perde clientes como consequência das obras. “Quando chove, fica com lama, quando está sol, muita poeira. Então as pessoas evitam passar por aqui”, relata Marcela Oliveira, funcionária de uma ótica.

Todos esses problemas pesam no financeiro dos estabelecimentos, que apontam um prejuízo de quase 100% desde que começaram as obras. Em uma loja de bijuterias, o impacto da obra resultou na demissão de uma funcionária, já que a proprietária não teve como pagar o salário com a queda do movimento. “A gente trabalhava em três funcionários e tivemos que demitir um. Estamos no vermelho por causa da obra”, ressalta a gerente do estabelecimento, Daniela Oliveira Albrechet Lopes.

Para tentar atrair clientes, as lojas estão apelando para chamadas especiais a quem passa na rua. Cartazes com promoção, lojistas atentos para quem olha as vitrines e até convite para um cafezinho são encontrados na região. “A gente tenta chamar mais atenção, tenta trazer as pessoas para dentro da loja e fugir da poeira. Mas está difícil”, conta Marcela.

+ Viu essa? Caso que chocou o Brasil completa seis anos sem solução. 

O problema é que as táticas ainda não estão funcionando. “A gente já fez um monte de coisa, mas não atrai ninguém, o pessoal passa rápido”, lamenta Daniela. A preocupação da gerente é com o Natal, o período mais quente de vendas do ano. “A gente está na expectativa de que até dezembro melhore pelo menos um lado da calçada ou facilite o acesso dos pedestres”, destaca.

Até novembro

De acordo com texto publicado no site prefeitura nesta sexta, as obras estão previstas para serem concluídas em novembro em toda a extensão da rua, que vai da Praça Osório até a Praça Rui Barbosa. O projeto prevê um corredor pela Voluntários da Pátria, que colocará calçada e a pista de rolagem que será feita de paralelepípedos na mesma altura. A partir da próxima segunda-feira (26), o trabalho foca nas calçadas, que serão alargadas e darão mais espaços aos pedestres.

A repaginação da rua faz parte do projeto Rosto da Cidade, que está revitalizando fachadas de prédios e locais históricos da cidade. Na quadra entre a Osório e a Emiliano Perneta, as equipes da prefeitura já concluíram toda a troca da galeria de água de chuva e 90% do pavimento da rua até esta sexta-feira (23).

+ Veja também: Malandragem levava mil munições e fuzil malocada no próprio corpo

Em nota no site, a prefeitura explica que o trabalho da troca na pista de rolagem é praticamente artesanal, já que estão sendo instalados blocos de paralelepípedo no lugar do asfalto. “Os blocos de paralelepípedos precisam ser colocados um por um, assentados e nivelados. Se não ficar bom, é preciso fazer novamente até acertar”, explica Elmar Pazinato, encarregado da obra.

Garoto de Curitiba tem doença rara que os médicos não sabem qual é