Os cinco cachorros da raça pit bull que foram resgatados nesta terça-feira (17) e faziam parte da equipe do criador que levava os animais para participar de campeonatos internacionais em rinhas – como a estourada pela polícia em Mairiporã, na Grande São Paulo – já estão em segurança. A apreensão ocorreu no bairro Guatupê, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba e o responsável pode retornar novamente para a prisão após ganhar liberdade pela Justiça paulista.

+ Leia mais: Só um dos 41 presos na rinha de cães descoberta pela polícia do PR segue na cadeia

Na operação realizada nesta manhã pela Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), os animais apresentam sinais de maus-tratos com cicatrizes e marcas aparentes de luta. A liberdade concedida após dois dias aos frequentadores irritou Matheus Layola, delegado da DPMA. “O Judiciário arbitrou fiança de quatro a 20 salários mínimos e foi aplicada a Lei. O trabalho é de enxugar gelo. A gente fica revoltado com isto.”, desabafou.

Animais estavam presos a correntes e tinham cicatrizes de lutas pelo corpo. Foto: Divulgação/Polícia Civil PR.

Para tentar reverter este quadro e mostrar que os cinco cachorros recolhidos também poderiam ser participantes de campeonatos, a Polícia Civil do Paraná vai pedir a revogação da liberdade do criador. “Já entramos em contato com a Justiça de Mairiporã para que ele responda por este novo inquérito”, relatou Layola.

Os animais recolhidos serão transferidos para uma ONG parceira da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.