No primeiro fim de semana de retorno da bandeira laranja e das medidas mais restritivas do decreto municipal 1.160, para evitar a transmissão do novo coronavírus, os supermercados em Curitiba estão fechados neste domingo (13). Com isto, quem precisou realizar compras escolheu os estabelecimentos localizados na região metropolitana, que seguem abertos. Situação que não agradou consumidores, que não aprovaram esta mudança, até pelo custo do deslocamento.

VIU ESSA? Aposta do Paraná acertou as 15 dezenas da Lotofácil da Independência

A reportagem da Tribuna do Paraná esteve em um supermercado atacadista em Almirante Tamandaré, no fim da manhã deste domingo. O movimento estava bem abaixo dos dias de semana e os curitibanos que chegavam para efetuar a compra não demonstravam animação.

O comerciante João Roberto da Silva, 54 anos, reside no bairro Cachoeira, em Curitiba, próximo da divisa com Almirante Tamandaré. Dono de uma pizzaria, os domingos costumam ser de boa procura da clientela pela massa, o que faz necessária reposição da mercadoria. No entanto, José não curtiu a ideia de sair de casa para realizar a compra em outro município. A reclamação está no preço e até na forma como foi imposta esta determinação por parte das autoridades.

LEIA TAMBÉM – Christiane Yared é confirmada como candidata à prefeitura de Curitiba pelo PL e Pros

“Eu trabalho no ramo de pizzaria e precisei vir para Almirante Tamandaré, pois os mercados perto de casa estão fechados. O preço muda para a gente e acaba sendo mais caro. Acho estranho isto, pois em outros lugares está tendo aglomeração com foi visto no feriado em Curitiba. A compra no fim das contas dá diferença se contabilizar tudo. O pequeno empresário que acaba pagando por isto”, comentou João Roberto.

Outra pessoa que não aprovou a medida foi o motorista de aplicativo Jorge Luís. Acostumado a rodar por Curitiba e por cidades da região metropolitana, o fim da manhã de domingo foi dedicado para as compras. No entanto, ele só percebeu que os supermercados de Curitiba estavam fechados quando foi informado por amigos. “Fiquei sabendo por amigos que o supermercado daqui estava aberto. Passei por alguns que tenho costume e fiquei surpreso. O problema é, que aí, gastei mais na gasolina e isto vai acabar pesando no bolso. Estou levando somente o necessário para hoje”, disse o motorista.

LEIA AINDA – Supermercados sugerem trocar arroz por macarrão pelo preço. Mas nutricionalmente é igual?

Com a chegada dos curitibanos nos estabelecimentos, quem está acostumado a comprar em municípios da região metropolitana até estranhou a pouca movimentação. Otair Vieira, 40 anos, é contramestre e morador de Almirante Tamandaré. Ao sair de casa imaginou que enfrentaria os corredores cheios e com dificuldade de realizar a compra. “Percebi que o funcionamento está normal, e mesmo com esta situação de ter o curitibano, não está tendo aglomeração. Aqui é a divisa com Curitiba e esperei até que estivesse mais cheio”, ressaltou Otair.

Restaurantes

Além dos supermercados, os restaurantes em Curitiba também não podem receber público. Mas os sistemas delivery ou drive-thru estão liberados. Já as panificadoras, funcionam até às 18h, mas não pode ter o consumo dentro do estabelecimento.