Apenas um dos nove vereadores da cidade de Rio Branco do Sul, na região metropolitana de Curitiba, não votou a favor do reajuste do próprio salário. Com a decisão, tomada no final de dezembro do ano passado, a partir de 2021 o salário para o cargo na cidade passa de R$ 6 mil para R$ 7,5 mil, um aumento de R$ 1,5 mil. O caso lembra a votação em Araucária, também na RMC, quando o reajuste aprovado por vereadores foi vetado após a repercussão gerada pelo único voto contrário ao aumento salarial.

Em Rio Branco do Sul a votação já foi publicada no Diário Oficial dos Municípios do Paraná. Além do reajuste de 25%, a mesa diretora aprovou 13º salário, que tem como base o salário integral do mês de dezembro, e mais R$ 2,5 mil referentes a um terço de férias aos parlamentares.

+Leia mais! Restituição do DPVAT 2020 será liberada para mais de 100 mil veículos no Paraná

Caso semelhante em Araucária

Vendo o resultado da votação é impossível deixar de lembrar da reviravolta causada no reajuste salarial após a decisão do vereador Aparecido da Reciclagem, em Araucária. A Tribuna mostrou em dezembro passado que o parlamentar se dizia envergonhado em ter um reajuste de R$ 3,6 mil, conforme dizia o projeto que posteriormente foi vetado. O vereador, que era catador de material reciclável, recebia R$ 400 antes de entrar pra política.