Um adolescente de 17 anos segue desaparecido no mar no Balneário Perequê, em Matinhos, no litoral do Paraná, após se afogar na tarde de sábado (7). Segundo informações do Corpo de Bombeiros de Matinhos, uma nova procura com helicóptero e moto aquática vai ocorrer ainda nesta tarde na tentativa de localizar o rapaz. Outros três casos de afogamentos aconteceram somente neste fim de semana.

LEIA TAMBÉM – Decreto determina fechamento de cadeias em delegacias do Paraná

A vítima desapareceu por volta das 15h30 de sábado e equipes fizeram buscas até o anoitecer e na manhã deste domingo (8). Um helicóptero do Batalhão de Polícia Militar de Operações Aéreas (BPMOA)  foi utilizado nas missões juntamente com equipes no mar usando motos aquáticas. A família do rapaz seria de Araucária, na região metropolitana de Curitiba e passava o fim de semana no litoral.

Afogamentos

Além deste afogamento, outras três ocorrências aconteceram até a tarde deste domingo, no litoral paranaense. Conforme os bombeiros, uma mulher, de 35 anos, e um homem, de 38 anos, se afogaram no Balneário Eliane, em Guaratuba. Foram socorridos e estão fora de perigo.

VIU ESSA? Volkswagen vai oferecer carro por assinatura no Paraná

No Balneário Flamingo, em Matinhos, um homem de 27 anos foi socorrido e encaminhado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da cidade. Neste domingo, em Pontal do Paraná, duas vítimas precisaram de apoio médico. Um homem chegou a ficar inconsciente e foi encaminhado para o Hospital Municipal de Paranaguá.

Cuidados no mar

O tenente Maikon Venâncio Correa, é um dos pilotos de helicóptero do BPMOA. Acostumado a ajudar nos afogamentos  no litoral paranaense, recomenda que as pessoas precisam seguir algumas recomendações para evitar que brincadeiras acabem em tragédia.

LEIA AINDA – Planta nativa do Paraná pode ajudar a emagrecer, diminuir açúcar no sangue e gordura no fígado

“Recomendamos que todos redobrem a atenção quando entram na água. Não deixe que uma brincadeira acabe com o futuro. Portanto, siga orientações  como não beber e entrar na água, só se banhar em locais monitorados por guarda-vidas, prestar atenção nas indicações das bandeiras no mar, são fundamentais para que a equipe do BPMOA não precise ser acionada”, ” alertou o tenente Maikon.