Se aceitar o cargo de secretária especial da Cultura , a atriz Regina Duarte terá uma queda brutal de seu atual salário na Rede Globo. A atriz, estrela de novelas como Vale Tudo e Por Amor, foi convidada pelo próprio presidente Jair Bolsonaro para substituir o diretor de teatro Roberto Alvim, demitido do cargo após copiar o ministro da propaganda nazista Joseph Goebbels em um pronunciamento quinta-feira (16).

De acordo com a revista Veja, Regina Duarte ganha atualmente R$ 60 mil por mês. Se estiver com novela ou série no ar, o salário da atriz dobra, indo para R$ 120 mil. Já o salário de Alvim como secretário especial de Cultura era de R$ 15,6 mil, contando deduções. O valor é distante do que recebe um ministro de Estado, cujo salário é de R$ 33,7 mil.

LEIA+ Secretário de Cultura de Bolsonaro que parafraseou ministro nazista é demitido

“O presidente me ligou. Eu fiquei muito surpresa, porque ainda estava digerindo todas as coisas que causaram o afastamento dele [Roberto Alvim]. Eu falei para o presidente ‘Desculpa, presidente, mas não estou preparada para isso’”, declarou Regina Duarte em entrevista ao programa Pingos nos is da Rádio Jovem Pam sexta-feira (17).

A atriz ainda não respondeu se aceita o convite de Bolsonaro. A Secretaria Especial de Cultura concentra as políticas públicas de cultura no país e desde novembro de 2019 está integrada ao Ministério do Tuirsmo – ao assumir a presidência, Bolsonaro extingiu o Ministério da Cultura.

Entre as responsabilidade que Regina Duarte terá de comandar no cargo está a Lei Rouanet de incentivo à cultura, alvo constante de críticas do próprio presidente e seus filhos. A Lei de Incentivo à Cultura, nome oficial, permite que empresas deixem de recolher 4% de impostos e pessoas físicas 6% para que os valores sejam repassados a projetos culturais. Atualmente, o limite é de R$ 1 milhão por proposta.