Brasília

– A companhia aérea Varig foi condenada a pagar uma indenização de R$ 110 mil à dona de um cachorro que morreu durante um vôo entre o Rio de Janeiro e Miami. O animal, da raça Pug, havia ganho vários títulos nacionais e internacionais e era fruto de 20 anos de trabalho genético. A condenação foi decidida pela juíza Maria de Fátima Rafael de Aguiar Ramos, da 11.ª Vara Cível de Brasília. A assessoria de imprensa da Varig informou que a empresa recorrerá da decisão ao Tribunal de Justiça do Distrito Federal assim que a sentença for publicada na imprensa oficial.

A juíza concluiu que ficaram evidenciadas a culpa e a responsabilidade da companhia aérea pelos prejuízos sofridos pela dona do cachorro. Por esse motivo, condenou a empresa a pagar R$ 100 mil pelos danos materiais causados e R$ 10 mil pelos danos morais. “A finalidade da condenação é compensatória punitiva e intimidativa, pois inibe que outros erros da mesma espécie venham a ser cometidos”, afirmou a juíza. O cachorro embarcou para Miami, em 17 de junho de 2001, com sua adestradora e outros dois cães para participar de uma exposição. Ao desembarcar nos Estados Unidos, a adestradora foi comunicada da morte. Posteriormente, ela teria providenciado a realização de uma necropsia em uma clínica de Miami.