Devido aos estragos causados pelas fortes chuvas no interior do estado, 12 municípios fluminenses, do norte e do noroeste, decretaram situação de emergência e um de calamidade pública. Os prefeitos das localidades preparam para o governo estadual um relatório sobre os danos provocados nas regiões. Neste sábado (20), eles se encontram com o governador Sérgio Cabral em Itaperuna.

As informações foram divulgadas no meio da tarde deste sábado pelo comandante da Defesa Civil do Norte e Noroeste, coronel Moacir Pires Santana, que listou os municípios em situação de emergência: Porciúncula, Natividade, Laje do Muriaé, Itaperuna, Santo Antônio de Pádua, Aperibé, São Fidélis, São João da Barra, Cambuci, Italva, Bom Jesus de Itabapoana e Campos dos Goytacazes, onde três crianças morreram afogadas ontem (19).

No município de Cardoso Moreira, a 340 quilômetros da capital, foi decretado estado de calamidade pública. Segundo o coronel, por conta da enchente do Rio Muriaé, mais de 50% dos serviços públicos, como fornecimento de água e luz, não estão funcionando – o que não ocorre nos demais municípios. Segundo o governo estadual, dez dos 12 mil habitantes de Cardoso Moreira tiveram perdas ou estão desabrigados.

“As pessoas estão em abrigos, sendo assistidas por orgãos municipais e estaduais”, disse o coronel. Ele informou que embarcações e caminhões da Marinha, próprios para áreas alagadas, fazem o resgate de pessoas em distritos remotos e também ajudam na distribuição de alimentos e água potável. Ainda hoje, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) parte da capital fluminense para a região afetada, levando 20 toneladas de cestas básicas.

A previsão do coronel é de que, a partir de hoje, as chuvas diminuam e as pessoas possam voltar para casa. “Há ainda casas alagadas, mas existem pessoas que voltam, afirmou. “Agora, o momento é de fazer limpeza e de a Defesa Civil em cada município vistoriar as residências, para saber se não existe mesmo perigo de as pessoas voltarem para lá”.

De acordo com o último balanço da Defesa Civil estadual, cerca de 60 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas dos últimos dias. Mais de 30 mil foram retiradas provisoriamente de casa e mais de 2 mil perderam tudo com as enchentes. O governo estadual deve anunciar ainda hoje medidas para conter os estragos. Também devem ser anunciadas estratégias para evitar a proliferação de doenças como a leptospirose.