O Ministério da Cidadania encaminhou para a Caixa uma relação de mais de 1,3 milhão de CPFs para o bloqueio das contas que garantiriam o recebimento do auxílio emergencial. Os dados estão relacionados a suspeitas de fraudes ao benefício. O número representa universo bem maior do que aquele apontado ontem, terça-feira (21) pelo presidente do banco, Pedro Guimarães, que falou em “centenas de milhares de casos”.

+Leia mais! Quarta parcela do auxílio emergencial é liberada nesta quinta-feira

Nesta quarta (22), Guimarães voltou a falar sobre o assunto, ainda sem citar dados exatos. Segundo ele, 51% dos bloqueios realizados pela Caixa foram relacionados a fraudes; nos outros 49% houve inconsistências cadastrais ou inelegibilidade ao benefício, informa o portal G1. Para desbloquear a conta (procedimento que é informado pelo aplicativo Caixa Tem), o interessado precisa comparecer a uma agência, o que já provocou filas e aglomerações.