Brasília – A arrecadação de impostos e contribuições federais somou, em novembro, R$ 29,835 bilhões, o que elevou para R$ 327,142 bilhões a receita do ano. O crescimento em relação a novembro do ano passado foi de 9,09%, se considerada a variação pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Na comparação com o desempenho da arrecadação no período entre janeiro e novembro de 2004, o crescimento foi de 5,47%.

O destaque foi o crescimento do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), em 23,25%, e da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), em 21,52%.

Segundo o secretário adjunto da Receita Federal, Ricardo Pinheiro, o resultado reflete, em parte, o bom desempenho da economia. Por outro lado, ressaltou, em muitos casos, é conseqüência da recuperação de alguns setores que no ano passado não arrecadaram tanto. "A maioria desses crescimentos é mais por um desempenho não tão bom no ano anterior do que por uma coisa esplendorosa ao longo desse ano", disse Pinheiro.

O setor de extração de minerais metálicos, por exemplo, recolheu 352,31% a mais em IRPJ e CSLL, na comparação com janeiro a novembro de 2004. "Claro que esses setores cresceram, mas não numa proporção tão grande porque isso não existe num patamar de normalidade", destacou o secretário.

Um dos principais fatores da elevação é o recolhimento do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) de alguns setores, como material eletrônico, que obteve crescimento de 18,5% e industria extrativa, com 10,2%. Pinheiro também apontou o crescimento em 3,4% observado na indústria no período acumulado de janeiro a outubro de 2005 em relação ao mesmo período de 2004 como fator que colaborou para o incremento na arrecadação.