O vice-presidente da República, José Alencar, qualificou de "agressiva" a postura assumida pelo candidato da coligação PSDB-PFL à presidência da República, Geraldo Alckmin, durante o debate do último domingo (8), na TV Bandeirantes, com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), candidato à reeleição.

"Acho que ele (Alckmin) marcou gol contra ele, com a agressividade", disse o vice-presidente ao chegar ao Palácio da Alvorada para participar de um encontro de cantores de música gospel de diferentes denominações religiosas com Lula. Na avaliação do vice, o presidente candidato "ganhou o debate, porque não poderia fazer mais do que fez.

Segundo Alencar, o presidente Lula "foi provocado, e ali houve até desrespeito, porque fez perguntas insistentes em relação ao dossiê" que petistas tentaram montar para prejudicar campanhas de candidatos do PSDB. No entender do vice, a insistência de Alckmin é uma "demonstração" de que a oposição está "realmente desesperada".

A uma pergunta se Lula, então, não tinha que ser questionado sobre o dossiê, Alencar respondeu: "Tinha, mas isso foi respondido. Então, não tinha que continuar perguntando. É uma falta de argumento." Sobre o tom agressivo assumido por Alckmin, Alencar acrescentou: "Achei que foi até desrespeitoso. Acho que isso é uma demonstração de comportamento desesperado do candidato, e é bom que haja uma pesquisa em relação a isso.

O vice disse que já esperava que houvesse, no debate, "todos esses apelos e apelações" e insistiu: "O presidente Lula é muito educado, é incapaz de causar ofensa pessoal a quem quer que seja. Então, aquilo jamais deveria ter sido feito, porque todo mundo sabe – e Alckmin também sabe – que o presidente nada tem a ver com isso.