O presidente da Câmara, Aldo Rebelo, cobrou do presidente do Conselho de Ética, Ricardo Izar, mais agilidade na conclusão dos processo de perda de mandato em análise no colegiado. Aldo Rebelo convocou Izar para uma reunião ainda hoje para que apresente um calendário já que o plenário da Câmara só poderá julgar os processos depois de analisados pelo conselho. Ele lembrou que não há nenhum processo em condições de ser julgado na próxima semana.

O pedido de cassação do deputado João Paulo Cunha (PT-SP) foi aprovado pelo Conselho mas ainda está na fase prevista para recursos na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara. Amanhã serão votados no plenário os processos contra OS deputados Wanderval Santos (PSL-SP) e João Magno (PT-MG). No Conselho de Ética está marcado para quinta-feira a votação do processo contra o deputado José Mentor (PT-SP).

Izar havia anunciado há cerca de 15 dias que o Conselho fará um julgamento por semana. Além de Mentor, o Conselho ainda precisa votar os pedidos de cassação dos deputados Vadão Gomes (PP-SP), José Janene (PP-PR) e Josias Gomes (PT-BAS). "No Conselho de Ética não pode arrastar os processos de julgamento durante o ano inteiro.

Eu vou cobrar exatamente um calendário porque o plenário só pode votar os processos depois da votação no Conselho de Ética", afirmou Aldo lembrando que há o risco de nenhum processo ser julgado na próxima semana. "Eu creio que para que a Câmara tenha meios e energia para cuidar de uma pauta importante no primeiro semestre é preciso votar rapidamente os processos de perda de mandato", argumentou Aldo.