Arturo Vidal continua a ser dúvida para a estreia do Chile na Copa do Mundo. O volante da Juventus ainda não teve alta do departamento médico, ainda que tenha treinado normalmente pela primeira vez desde que chegou ao Brasil na manhã desta quarta-feira na Toca da Raposa II, o CT do Cruzeiro, em Belo Horizonte. Sem a liberação, o principal destaque da equipe pode ficar de fora do confronto desta sexta contra a Austrália, na Arena Pantanal, em Cuiabá.

O médico da delegação chilena, Giovanni Carcuro, preferiu não entrar em detalhe e dar prognósticos concretos sobre quando e quanto o jogador poderá ser útil para o técnico Jorge Sampaoli. “No esporte profissional não exista a alta médica como nos pacientes convencionais”, explicou, acrescentando que o atleta quase sempre tem algum incômodo e ainda não pode render de maneira seu máximo.

Na coletiva de imprensa na Toca da Raposa II, Carcuro ainda rechaçou a hipótese de irresponsabilidade pelo fato de terem deixado o jogador atuar no amistoso diante da Irlanda do Norte na última semana. A polêmica foi gerada porque Vidal havia operado o joelho direito há apenas um mês e, dias após a partida, Vidal apresentou uma inflamação no local.

“Os 15 minutos que (Vidal) jogou não foram mais intensos do que ele vinha fazendo. Não houve nenhum grau de irresponsabilidade”, afirmou. “Isso já estava projetado dentro do processo de recuperação. Era importante avaliá-lo em campo”.