O futebol reverencia nesta sexta-feira (23) os 80 anos de Pelé. Para homenagear o Rei do futebol, a Tribuna do Paraná traz fotos históricas e recorda cinco passagens do craque no estado do Paraná.

Pelé jogou 16 vezes em solo paranaense e marcou 11 gols. Recorde algumas dessas passagens e todo os gols do Rei contra equipes do estado!

Jogos marcantes de Pelé no Paraná

Londrina 1×7 Santos – 19/05/1957

Foto: Arquivo

Os torcedores de Londrina tiveram o privilégio de ser os primeiros a ver o Rei do futebol em solo paranaense. O adolescente Pelé, de apenas 16 anos, deixou o banco de reservas durante a partida para marcar dois gols na goleada do Santos sobre o Tubarão.

“Naquela época, o Pelé não era nada além de um garoto. Tanto que nem fizemos entrevista com ele. Era reserva do Jair da Rosa Pinto e entrou só no segundo tempo”, recordou o radialista José Maria de Brito, que cobriu a partida (foto).

Londrina: Inacio; Saporto (Conceição) e Oswaldo; Douglas, Cortes e Gimenes; Alaor, Barras, Zé Carlos, Lube (Chico) e Armandinho.

Santos: Laércio (Barbosinha); Fioti, Getúlio (Gilvandro), Mourão (Ivan) e Brauner; Zito e Jair Rosa Pinto; Dorval (Breno), Álvaro (Pelé), Pagão e Pepe. Técnico: Lula.

Brasil 2×1 Seleção Paranaense – 13/11/68

Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

A seleção brasileira desembarcou em Curitiba e provocou verdadeiro alvoroço na cidade. Ninguém queria perder a movimentação dos craques que conquistariam o tricampeonato no México, em 70.

No antigo Belford Duarte, atual Couto Pereira, a seleção brasileira enfrentou o Coritiba, que jogou com a camisa da Federação Paranaense de Futebol, representando o estado do Paraná.

Pelé não fez gol, mas deu o gostinho para a torcida paranaense ver pela única vez o Rei com camisa da seleção em solo paranaense (foto). Dirceu Lopes abriu o marcador para o escrete canarinho, aos 12do primeiro tempo. Passarinho empatou, aos 32. Já na etapa final, aos 44, Zé Carlos decretou a vitória do conjunto nacional. O público pagante foi de 17.162 pessoas.

Seleção do Paraná: Joel; Deleu, Nico, Roderley e Ismael; Rossi (Lucas), Rinaldo, Passarinho e Kruger; Kosilek e Carlos Alberto (Wálter). Técnico: Francisco Sarno.

Brasil: Félix; Carlos Alberto, Jurandir, Dias e Paulo Henrique (Nilo); Rivelino (Dirceu Lopes), Gérson (Zé Carlos), Paulo Borges (Natal) e Jairzinho (Leivinha); Pelé (Tostão) e Paulo César. Técnico: Aymoré Moreira.

Coritiba 1×0 Santos – 27/10/1971

Tião Abatiá ao lado de Pelé. Coxa-branca brilhou e marcou o gol da vitória. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

Primeira fase do Brasileiro de 1971, jogo no Belford Duarte, hoje Couto Pereira. Quem foi ver Pelé, viu Tião Abatiá.

O eterno parceiro de Paquito, desde os tempos de União Bandeirante, foi o autor do gol isolado na vitória alviverde diante do poderoso Peixe. Aos 18 do primeiro tempo, Tião partiu pela esquerda e soltou um torpedo que fez explodir as mais de 30 mil pessoas no estádio.

Coritiba: Carvalho; Pescuma, Cláudio, Hermes e Nilo; Renatinho, Leocádio e Hidalgo; Paquito (Reinaldinho), Tião Abatiá e Rinaldo. Técnico: Tim.

Santos: Carlos; Orlando, Oberdan, Ramos Delgado e Rildo; Lima, Davi e Clodoaldo; Mazinho, Pelé e Edu. Técnico: Mauro Ramos.

Athletico 0x2 Santos – 16/9/1973

Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

Era a primeira fase do Brasileiro e o Santos, treinado por Pepe, ex-companheiro de ataque de Pelé no Santos e na seleção, veio enfrentar o Rubro-Negro do técnico Vail Mota. Jogo no Belford Duarte, hoje Couto Pereira.

O Furacão não resistiu diante da representação do Peixe e acabou batido por 2×0, gols de Edu e Mazinho. Pelé passou em branco, mas levou perigo ao gol atleticano algumas vezes (foto).

No Furacão, destaque para o zagueiro Alfredo, o lateral-esquerdo Julio, os meias Didi Duarte e Sérgio Lopes e o atacante Buião.

Athletico: Gainete; Vanderlei, Alfredo, Di e Julio; Sérgio Lopes, Caio e Didi Duarte; Renatinho (Bira Lopes), Buião e Taquinho. Técnico: Vail Mota.

Santos: Carlos; Carlos Alberto Torres, Vicente, Hermes e Zé Carlos; Clodoaldo, Leo Oliveira e Nenê Belarmino (Brecha); Edu, Pelé e Mazinho. Técnico: Pepe.

Athletico 0x1 Santos – 11/11/1973

Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

Em 1973, o Atlético teve o privilégio de enfrentar Pelé duas vezes. Dois meses depois do primeiro confronto, nova derrota rubro-negra para o Santos. E a diferença dessa vez foi Pelé.

O Rei deixou a sua marca, anotando o gol isolado do confronto, já no finalzinho, aos 37 minutos do segundo tempo.

Um fato que chamou a atenção é que a torcida mirim atleticana não quis saber de sair na foto antes do jogo com o time do Atlético. A gurizada toda correu pra sair no registro junto com o Rei (foto), na foto posada do Peixe.

Athletico: Gainete; Di, Alfredo, Júlio e Ladinho; Torino, Lourival, Sidnei e Caio; Didi Duarte e Benê (Bira Lopes). Técnico: Lanzoninho.

Santos: William; Vicente, Hermes, Roberto e Carlos Alberto Torres; Leo Oliveira, Clodoaldo, Eusébio (Nenê Belarmino); Edu, Pelé e Mazinho. Técnico: Pepe.

Fotos históricas do Rei do Futebol no Paraná

Todos os gols de Pelé jogando no Paraná:

19/5/57 – Londrina 1×7 Santos (gols 11 e 12): Aos 16 anos, Pelé marcou dois gols contra o Tubarão. Até hoje é a maior goleada sofrida pelo clube paranaense na história.

21/12/58 – Coritiba 1×1 Santos (gol 153): Logo após se consagrar na Copa da Suécia, o camisa 10 veio disputar um amistoso contra o Coxa. E deixou sua marca.

16/5/65 – Maringá 1×11 Santos (gols 711 e 712): Na semana de comemoração dos 18 anos da Cidade Canção, o todo-poderoso Santos era a atração. Pelé fez dois gols no amistoso festivo.

3/5/67 – Santos 3×0 Ferroviário (gol 838): Em jogo válido pelo Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o Ferroviário (hoje Paraná) não foi páreo para o Peixe na Vila Belmiro. O Rei marcou mais um.

22/10/69 – Coritiba 1×3 Santos (gols 994 e 995): Já na corrida pelo milésimo, Pelé balançou duas vezes as redes do Coxa. A partida valia pelo Roberto Gomes Pedrosa e está registrada no filme Pelé Eterno.

10/1/70 – Coritiba 1×3 Santos (gol 1005): Meses após a conquista do tri no México, o já consagrado astro internacional disputou um amistoso no Alto da Glória. E mais uma vez não passou em branco.

11/11/73 – Atlético 0x1 Santos (gol 1189): Era a primeira rodada da segunda fase do Brasileiro. Pelé marcou o gol da vitória – o único dele contra o Rubro-Negro.

18/11/73 – Coritiba 1×2 Santos (gol 1191): Zé Roberto abriu o placar, Pelé empatou e Edu virou para o Peixe. A partida valia pela segunda fase do Campeonato Brasileiro.

+ Mais dos 80 anos de Pelé:

+ Blog do Cristian: As curiosidades dos jogos do Rei contra o futebol paranaense
+ Mafuz: A história de um Rei e um plebeu
+ Como era encarar o Rei Pelé; confira o papo com atletas do Paraná que jogaram contra o craque


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?