O Paraná Clube pretende logo no início de 2018 apresentar um ‘pacotão’ de reforços para a torcida. O elenco se reapresenta no dia 2 de janeiro, no CT Ninho da Gralha, onde realizará a pré-temporada, e a ideia é anunciar oficialmente os novos contratados para o ano que marca a volta do Tricolor à Série A.

“Dia 2 nós devemos fazer um evento especial para apresentar os jogadores. Muitos já vieram a Curitiba para assinar contrato, mas antes temos que resolver algumas questões contratuais. A virada do ano já está aí e vamos acabar com os mistérios”, prometeu o presidente Leonardo Oliveira.

O objetivo inicial era dar um ‘presente de natal’ para a torcida, mas diante das dificuldades, o clube optou pelo sigilo nas negociações.

O Paraná Clube tem, até o momento, cinco reforços acertados: o goleiro Luís Carlos, ex-Vila Nova, os zagueiros Charles, que estava no Joinville, e Neris que vem do Sport, o volante Alex Santana, ex-Internacional, e o atacante Diego Gonçalves, que também pertence ao Colorado.

Mas a tendência é que mais nomes sejam conhecidos na reapresentação paranista. Outros jogadores ainda estão sendo negociados e analisados pelo executivo de futebol Rodrigo Pastana e pelo técnico Wagner Lopes. Mas ninguém deve ser anunciado até o final deste ano.

Além dos reforços, o Tricoloar irá divulgar a reforma que está sendo feita no Ninho da Gralha. A torcida também aguarda o desfecho da renovação de três atletas importantes da campanha do acesso. O goleiro Richard, o zagueiro Iago Maidana e o meia Renatinho.

Dos três casos, Renatinho é quem está mais próximo de ficar. Richard também tem uma situação favorável. O goleiro pertence ao Água Santa e tem interesse de permanecer na Vila Capanema.

Já a transação de Maidana só será resolvida em 2018. Ele tem contrato com o São Paulo até maio e o time paranista estuda fazer uma proposta de compra dos direitos para ter o jogador já em janeiro. O problema é que o atleta trava na Justiça uma batalha contra o clube paulista envolvendo a sua polêmica contratação no Morumbi em 2015. A transação foi feita de forma irregular e ocasionou a queda do presidente Carlos Miguel Aidar.

Enquanto isso, o Tricolor aguarda o desfecho da disputa judicial. Na última audiência, realizada no início de dezembro, a sentença foi adiada para abril de 2018. Além disso, a possibilidade de ir para o Bahia é maior, com o atleta sendo envolvido na negociação do goleiro Jean com o São Paulo.