Em mais uma atuação abaixo da expectativa, o Paraná Clube foi novamente derrotado. Desta para o Joinville, por 1×0, no sábado (15), na Arena Joinville, em uma partida onde o Tricolor praticamente não chutou a gol, principalmente no segundo tempo, quando o jogo como um todo foi mais truncado.

Porém, para os jogadores paranistas, a equipe não merecia a derrota, mas que o fato de jogar com um a menos durante toda a segunda etapa – o volante Wellington Reis foi expulso aos 36 do primeiro tempo -, pesou bastante.

“No primeiro tempo criamos bastante oportunidades, mas o time foi guerreiro. Sabemos que jogar com um a menos é complicado, o juiz acabou revertando alguns lances, até a expulsão foi desnecessária. Mas agora não adianta falar muito, já foi”, disse o meia Murilo.

“A gente está em uma fase onde não temos que fazer espetáculo, mas sim ganhar jogos. Sabíamos que seria um jogo extremamente difícil, eles estão com a corda no pescoço mais que a gente. Mas mesmo com um a menos no primeiro tempo criamos mais, depois no segundo tempo foi bem desgastante, mas não dá pra dizer que merecemos a derrota”, acrescentou o zagueiro Zé Roberto, lembrando que o Paraná já entrou em campo com cinco jogadores que não são titulares habitualmente, o que influenciou no desgaste.

O técnico Roberto Fernandes também apontou a expulsão como fundamental para o resultado final, mas também não gostou do fato de o Tricolor ter sofrido um gol logo aos oito minutos, obrigando o time a correr dobrado logo de cara.

“A expulsão e o gol prematuro. Você levar um gol fora de casa logo no início, começar desligado, fora do clima do jogo, e ainda tendo a expulsão no primeiro tempo, quebra qualquer plajenamento de seis meses de um time, imagine uma semana”, concluiu o treinador.