O Paraná Clube vai iniciar o segundo turno da Série B com um time um pouco diferente daquele que terminou a primeira parte da competição. A diretoria liberou o volante Basso para acertar com o Estoril, de Portugal, e que acertou, em comum acordo, a rescisão do contrato do atacante Marcelinho. Apesar de Basso ter sido titular em boa parte dos últimos jogos sob o comando do técnico Marcelo Martelotte, o comandante tricolor confia nas peças de reposição dentro do próprio elenco para suprir a saída do jogador.

“Na verdade, a minha parte é a parte técnica. Com relação a isso, me posicionei rapidamente nesse sentido, se havia interesse do jogador de se transferir e ele tinha um pré-contrato assinado com outra equipe. Entendi que, nas duas últimas partidas, até caiu seu rendimento, principalmente contra o Tupi. Entendi que era improvável que mudasse a situação na cabeça do jogador e, então, a solução encontrada foi a sua liberação. Entendo também que ele vinha sendo um jogador importante nesse momento, principalmente após a minha chegada (metade de junho), onde ele teve mais chances”, declarou Martelotte, em entrevista à Rádio Transamérica.

Essas chances citadas pelo comandante paranista surgiram, sobretudo, depois dos volantes Jean, Lucas Otávio e Anderson Uchôa se machucarem e passarem um tempo no departamento médico. Todos eles já estão à disposição e o treinador acredita que Basso não deve fazer falta para a sequência da Série B.

“Essas chances surgiram devido às perdas do Jean, do Uchôa e do próprio Lucas Otávio. Todos estavam no departamento médico no mesmo momento e surgiu essa oportunidade para o Basso ocupar um espaço dentro da equipe. Terão essa recomposição com esses três jogadores, que estão treinando normalmente. São jogadores que já têm experiência, já jogaram e tiveram bons momentos pelo Paraná”, emendou Martelotte.

Destaques em alerta

O Paraná, além de observar o mercado para encontrar peças de reposição, terá também que tentar segurar os jogadores que estão se destacando no seu elenco. Caso do atacante Robson, que é um dos artilheiros da Série B com oito gols marcados e já despertou o interesse de outros clubes do futebol brasileiro. Martelotte ressaltou o grande momento que o avante paranista vive no clube e que tem seu contrato se encerrando ao final deste ano.

“O Robson realmente é um jogador que manteve um nível mais alto nas suas apresentações, além de viver um momento iluminado. Quando passa por um momento que nem esse, a bola bate e entra, como aconteceu contra o Criciúma. Isso também não é sorte, não é só a fase e sim o trabalho dele, pela intensidade que ele treina e pela qualidade que ele tem. É um jogador que nos ajudou muito nesse momento e tem condição de ser o protagonista nesse segundo turno”, frisou o treinador.

Nova torcida! Veja mais sobre o futebol paranaense na coluna do Mafuz!