Está no site e no jornal impresso da Tribuna: o Atlético proibiu as torcidas organizadas de usarem a marca do clube. A proibição do uso da marca e de qualquer elemento que associe as organizadas ao Atlético tem uma consequência legal: sem identidade, chega-se à ilegalidade. Nós mesmo da imprensa não devemos mais usar a expressão “torcida organizada do Atlético”.

Não me escondo, já escrevi: os atos do Atlético contra as torcidas organizadas são irrepreensíveis sob o aspecto legal e esportivo. Não importa mais o fato de que essa diretoria, para ser eleita, manteve relações promíscuas com essas organizações. O importante é que os seus atos presentes corrigem os seus erros passados, o que implica na proteção do objetivo final, que é o clube.

E os argumentos contra a diretoria vão sendo derrubados um a um. O principal é o fato de que, ao contrário do que defendiam, a Baixada não deixou de exercer a influência que o time precisa para ganhar os seus jogos. Do contrário, tornando a influência de facções um fato extraordinário, mantem-se uma dependência temerária, reduzindo o clube como instituição.

E não é coincidência de que os atos da diretoria estão mudando o ambiente da Baixada. Percebam contra o Palmeiras, domingo, à noitinha: o clima familiar, tornou-se maior, sem que o torcedor fique submisso à variação do comportamento humano por conta do “amor especial” pelo Furacão. Agora só deve se preocupar em saber quando que Vinicius vai resolver ser o “número 10” que o Atlético tanto procurou.

Coxas

1ª – Presume-se que um novo estádio para o Coritiba, por ser imprescindível, é assunto importante. O vice-presidente Alceni Guerra provocou oficialmente a questão, e nada mais se fala dela. Até hoje, a diretoria não se pronunciou sobre a entrevista de um empresário de que os chineses estão chegando com 700 milhões de reais. São essas ações e omissões que maltratam o clube.
2ª – O doutor José Fernando Macedo torceria contra o Coritiba só porque foi Ernesto Pedroso quem trouxe o treinador Carpegiani? Só para lembrar, o doutor Macedo havia acertado com Bonamigo e a sua comissão técnica. Nada que uma sequência de vitórias não resolva no futebol.