enkontra.com
Fechar busca

Paraná Clube

Paraná Clube

Paraná Clube

Aventura na Tailândia

Após conseguir acesso com o Paraná Clube, Robson se arrisca na Tailândia

Fora do mercado tradicional do futebol asiático, atacante quer ajudar a desenvolver o futebol do país

  • Por Luiz Ferraz
Robson se despediu do Paraná Clube contra o Boa, quando marcou o gol do time no Couto Pereira. Foto: Hugo Harada

Titular do Paraná Clube em grande parte da temporada, o atacante Robson optou por deixar o futebol brasileiro para se aventurar na Tailândia. O jogador, depois de ajudar o Tricolor a conquistar o acesso à primeira divisão na disputa da Série B deste ano, vai defender, em 2018, o Bangkok United. A expectativa do jogador na sua ‘Missão Tailândia‘ é de acompanhar o crescimento da modalidade no país, que a cada ano preza mais pelo profissionalismo.

“Eu acho que vai ser uma experiência muito boa para mim. O futebol na Tailândia está crescendo também e espero desempenhar o mesmo trabalho que eu fiz no Brasil, especialmente no Paraná Clube. Espero que eu possa fazer lá e ter sucesso também”, cravou Robson, em entrevista exclusiva à Tribuna do Paraná.

O futebol tailandês conta atualmente com alguns jogadores e membros de comissão técnica brasileiros. O mais conhecido deles é o atacante Diogo, que brilhou na Portuguesa há anos, passou por Palmeiras, Santos e Flamengo e conquistou, em 2017, o título nacional pelo Buriram PEA. Robson é mais um brasileiro a desembarcar no futebol tailandês e vai jogar no clube que, neste ano, terminou o campeonato na terceira colocação.

No Bangkok United, o atacante terá a companhia do técnico brasileiro Alexandre Pölking, de 41 anos, que fez toda a sua curta carreira de treinador no futebol asiático. Assim, pelo menos durante os treinamentos e jogos, a comunicação do centroavante com a comissão técnica e seus companheiros de time poderá ser um pouco mais facilitada.

Cultura

Outro detalhe que jogador está se preparando é a cultura diferente da Tailândia. O país asiático é conhecido por suas belas praias, por seus cenários encantadores, seu povo receptivo, mas também por sua cultura e culinária diferenciadas. Isso é algo que ele tem pesquisado para, a partir de janeiro, quando chegar ao seu destino, não sentir tanta dificuldade na sua adaptação.

“A gente olha, está sempre procurando, para quando chegar lá não tomar esse susto. Nunca tinha saído do país, mas a gente está bem ansioso e bem confiante. Espero chegar lá e poder desempenhar meu futebol da melhor maneira possível e ajudar a minha equipe”, contou o jogador, que assinou contrato de dois anos e vai acompanhado da sua esposa para esse novo desafio.

Depois de surgir bem no Paraná Clube no ano passado, Robson despertou o interesse do São Paulo e defendeu o tricolor do Morumbi na reta final do Brasileirão. Sem muitas oportunidades no time paulista, retornou ao Tricolor em março deste ano e ajudou o time paranista a retornar à primeira divisão. O jogador deixa o clube com o sentimento de dever cumprido.

“Acho que foi muito gratificante, foi muito bom, por tudo o que eu passei aqui. Consegui deixar meu nome na história do Paraná. Pude ajudar o clube a voltar para a Série A e isso não tem preço, não tem dinheiro que pague”, arrematou Robson.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

25 Comentários em "Após conseguir acesso com o Paraná Clube, Robson se arrisca na Tailândia"


pedrinho
pedrinho
1 ano 6 meses atrás

kkkkk…. em quarto com as carcinha na mão…..kkkk os caras tão vazando…..kkkk a barca tá enchendo…. não fica ninguémmmm….. falidos, golfinhos….. s r n da parte bonita da eng. Rebouças……kkkkkkk

Maycon Silva
Maycon Silva
1 ano 6 meses atrás

Assim como tantos outro nao adianta ficar falando, so vai pelo dinheiro.

Cesar
Cesar
1 ano 6 meses atrás

Importante para o acesso, já pra série A… Será preciso mais do que isso.
Claro que não estou falando de clubes que se contentam em simplesmente participar como aquele da Água Verde ou só fugir do rebaixamento feito vizinho do Perpétuo Socorro.

emerson benkendorf
emerson benkendorf
1 ano 6 meses atrás

Do jeito que anda a debandada em massa no Paralixo, o último que deslique a luz. kkkk Deve ser horrível jogar nesse timinho. Os caras preferem ir jogar na segundona, países onde a população nem sabe o que é uma bola de futebol do que ficar nesse clube.

RENATO G.DOS SANTOS
RENATO G.DOS SANTOS
1 ano 6 meses atrás

Um pobre como voce, sem classe, semi-analfabeto desconhece e muito a Tailândia. É um lindo país com uma cidade maravilhosa como Bangkoc. O futebol é como na China. Então Zé ruela fique quietinho sem falar besteiras.

Maycon Silva
Maycon Silva
1 ano 6 meses atrás

Parana com isso cara, de que adianta. Tantos que sairam do time do corone depois de sofrerem tanto na mao desse cara. A vida e assim, chega de arrotar status que esse time nao tem.

Juliano Sempre Paraná Sempre T.F.I.
Juliano Sempre Paraná Sempre T.F.I.
1 ano 6 meses atrás

Só pra lembra o Recorde é nosso POODLE. Deve ser horrível saber que a torcida que vocês mais falam é a que mais ri da cara de vocês, poodlelixo… deve ser horrível não poder lotar a própria casa

Leandro
Leandro
1 ano 6 meses atrás

Deve ser horrível ter um complexo de superioridade lá nas nuvens (estilo Nazi), time que prometem,prometem,prometem, e nunca ganha nada. Torcida que tem uma dor de cotovelo incrível dos outros 2 da capital pelo valor do ingresso, mas como lá no canil a maioria gosta de pagar 200, tá de boa na praça

EL PODEROSO TORNADO!
EL PODEROSO TORNADO!
1 ano 6 meses atrás

Melhor ir para o futebol da Tailândia do que ficar no Paralixo, isto sim é que é fugir de uma porcaria!… kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

RENATO G.DOS SANTOS
RENATO G.DOS SANTOS
1 ano 6 meses atrás

UE, pelo que sei o cheiro de pocilga vem do final da rua.

wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas