O Paraná Clube projeta uma “semana perfeita”. A ideia do técnico Marcelo Oliveira é fechar a 5.ª rodada na ponta da tabela e para tanto o Tricolor precisa de duas vitórias, frente a Duque de Caxias e Vila Nova.

Mesmo com uma visão mais ampla da Série B, o foco principal do treinador está calibrado para o Duque de Caxias, adversário de hoje à noite às 19h30, no Raulino de Oliveira , em Volta Redonda. Até mesmo o fato de atuar num estádio neutro foi tema das conversas com o grupo.

“Não podemos cair nessas armadilhas que a Série B reserva”, avisa Marcelo Oliveira. O treinador sabe que jogar num estádio vazio, muitas vezes pode resultar numa inconsciente apatia. “Por isso, temos que entrar ligados desde o início. Contra a Ponte, vacilamos nos primeiros minutos e depois ficou difícil correr atrás”, lembrou.

O Tricolor joga sem pressão de torcida e, para completar, contra um dos lanternas da Segundona. “Resumindo: a responsabilidade é nossa. Mas, temos que fazer por onde e buscar esse resultado”.

A estratégia de Oliveira é conseguir aplicar fora de casa a mesma eficácia demonstrada na Vila Capanema. Ou seja, um time preciso na marcação e veloz nos contragolpes. Até porque, jogar no “erro do adversário” é ponto comum neste caso.

O Paraná encara um desesperado Duque, que perdeu os três jogos que disputou e já é visto como candidato ao descenso. “Apesar da campanha ruim, eles têm um bom time. Temos que estar concentrados para fazer o nosso melhor, sempre buscando uma evolução em relação ao jogo passado”.

Para conseguir colocar o plano em prática, Oliveira depende muito da precisão dos volantes nas roubadas de bola. “É um dos pontos fortes do nosso time e deve ser explorado. Mas, não podemos nos limitar à marcação”, avisou o volante Chicão.

No último jogo, ele mostrou que não é apenas “cão de guarda” da defesa. Com um passe preciso, deixou João Paulo na cara do goleiro para marcar um golaço. “Nós volantes, temos que ter essa versatilidade, para dar um desafogo aos jogadores de armação e finalização”.

Durante a semana “cheia” para treinamentos, a comissão técnica procurou trabalhar todos os detalhes, da questão física ao posicionamento do time. Marcelo Oliveira deu especial atenção às bolas paradas, onde Leandro Bocão, artilheiro do time, ganha espaço.

“Em outros clubes, sempre bati faltas. Agora, vou tentar resgatar um pouco dessa característica”, disse Bocão, que já é o responsável por uma eventual penalidade máxima. “O momento é positivo e espero manter a média”, disparou o centroavante, que já fez três, em três jogos.