Quando Lugano deixou o São Paulo rumou à Europa, Neymar ainda era apenas uma promessa das categorias de base do Santos. Mas, ligado como é ao futebol brasileiro, o defensor uruguaio conhece bem o craque da seleção. Para o jogo desta quarta-feira, em Belo Horizonte, pela semifinal da Copa das Confederações, a preocupação dele é com a fama de cai-cai de Neymar.

“Mais que as faltas que o Brasil faz, me preocupa as faltas que o Neymar pode simular. Nisso ele é habilidoso e se joga sistematicamente. Por ser leve, ele faz um salto especial e engana a arbitragem. Isso me preocupa”, disse Lugano, minimizando o fato de a seleção brasileira estar abusando das faltas na competição.

Dentro desse cenário, cresce a importância do árbitro chileno Enrique Osses, escolhido pela Fifa para apitar o clássico sul-americano. “Vão todos olhar para ele, esperamos que faça uma partida boa”, comentou Lugano.

Apesar do o Uruguai não vir em boa fase, o zagueiro acredita ser possível vencer o Brasil em pleno Mineirão. “Temos o direito de sonhar com uma vitória no Brasil, sabemos que é difícil, o Brasil está em um momento bom, mas temos o direito de sonhar.”

Símbolo da raça uruguaia, Lugano ressaltou que a equipe dele cresce em momentos decisivos e pode fazer isso novamente nesta quarta-feira. “A história indica que será um jogo difícil, mas é um privilégio fazer parte deste grupo que cresce em momentos difíceis. Esse grupo tem um enorme compromisso com a camisa, com o povo”, exaltou.