O técnico Levir Culpi reconheceu que o Atlético Mineiro teve atuação ruim no empate por 0 a 0 com o Goiás, domingo, no Serra Dourada, pela 17ª rodada do Campeonato Brasileiro, e não merecia um resultado melhor. Mas ele não deixou de criticar as condições de jogo e, principalmente, o estado do gramado do estádio goiano, que até atrapalhou o adversário em uma chance clara de gol no segundo tempo do duelo.

“O jogo teve o resultado que merecia porque não foi muito encaixado das duas partes, os jogadores sentiram nitidamente a parte física, até mais os do Goiás porque, no final, ainda pressionamos e tivemos oportunidades boas para marcar, tivemos bons momentos. O estado do gramado castigou o Goiás naquele lance em que o Erik daria um passe, mas a bola bateu no barranco e subiu. Todos sofreram, não se via futebol bonito, três substituições, a umidade relativa do ar aqui é considerada perigosa e estou valorizando a soma de um ponto”, analisou.

Diante do Goiás, o Atlético-MG teve pouca produção ofensiva e sofreu com a ausência de três atacantes – Lucas Pratto, Luan e Carlos -, todos eles contundidos. Cauteloso, Levir avisou que apenas Luan tem chances de reforçar o time no próximo compromisso no Brasileirão, embora tenha evitado garantir a presença do atacante.

“Para o jogo de quinta, possivelmente o Luan, mas não podemos precipitar, se ele estiver confiante, é possível que participe. Quarta-feira, todos lá no Mineirão porque o Atlético não pode largar ponta do campeonato e uma das forças que temos é a torcida”, afirmou.

Líder do torneio nacional, agora com 36 pontos, o Atlético-MG volta a entrar em campo na próxima quinta-feira, quando vai encarar o Grêmio, no Mineirão, pela 18ª rodada.