Depois de longas férias e evitar se manifestar sobre a saída de Kyrie Irving do Cleveland Cavaliers, o astro LeBron James aproveitou o “media day” da equipe nesta segunda-feira para admitir a chateação com a decisão do ex-colega. No tradicional dia utilizado pelas franquias para entrevistas de jogadores, técnicos e dirigentes antes de cada temporada, LeBron lamentou não poder “entregar as chaves” do time a Kyrie.

“Fiz de tudo para fazer do Kyrie o melhor jogador que ele poderia ser, ser um melhor líder, um melhor pontuador, um melhor general em quadra, um melhor defensor, um melhor passador para envolver os outros caras. Tentei fazer de tudo, porque, como eu disse durante a temporada, em algum ponto, quando ele estivesse pronto para receber as chaves, eu estava pronto para lhe entregar”, declarou.

O astro considerava Kyrie seu sucessor natural como líder do Cavaliers, mas especula-se que foi justamente a perda deste posto que fez o armador pedir para ser trocado. Afinal, ele já estava na franquia desde 2011, anos em que foi escolhido no Draft, quando LeBron decidiu retornar, em 2014.

“Tive uma tonelada de emoções quando fiquei sabendo (do pedido de Kyrie). Fiquei pensando se havia algo que eu podia ter feito melhor para fazer com que ele não quisesse ser trocado. Se foi a forma como a temporada terminou, se foi, principalmente, o fato de eu ter voltado, a mudança de técnicos, de diretoria… Eu não sei”, comentou LeBron.

O fato é que Kyrie não só conseguiu ser atendido em seu pedido como foi para o principal rival do Cavaliers na atualidade, o Boston Celtics, o que deixou LeBron ainda mais chateado. “A única coisa que me deixou triste é que ele levou muito do nosso DNA para Boston. Tirando isso, desejo a ele tudo de bom. Ele quis fazer o melhor para sua carreira.”

LeBron também negou ter conversado com Kyrie após a troca e deixou evidente seu descontentamento com a situação. “Não falei com ele desde que foi trocado. Tive um pequeno dialogo quando soube que ele queria ser trocado, mas desde então, não mais. Não tenho nenhum conselho para ele. Ou você está conosco, ou contra a gente. Mas foram três anos gratificantes juntos.”

Se Kyrie saiu, LeBron pode ter a companhia de outro velho conhecido na próxima temporada da NBA, que começa no dia 17 de outubro. Bicampeão da liga ao lado do astro no Miami Heat, Dwyane Wade pode ir para Cleveland reeditar a parceria após chegar a um acordo para rescindir seu contrato com o Chicago Bulls.

“Acho que ele traria outro DNA de campeão. É um fazedor de jogadas, que pode construir para o time e tem grande mente de basquete. Então, seria ótimo ter ele aqui. Eu falei com Wade durante todo verão e vou conversar com ele de novo, mas não cabe a mim. Cabe a ele e à nossa diretoria. Mas espero que possamos trazê-lo. Seria incrível”, analisou LeBron.

ISAIAH THOMAS – Trazido pelo Cavaliers justamente na troca por Kyrie, ao lado de Jae Crowder, Ante Zizic e uma escolha de Draft, Isaiah Thomas também foi assunto na franquia nesta segunda-feira. Em recuperação de uma lesão no quadril, o jogador deverá retornar às quadras somente em janeiro.

Pelo menos é esta a expectativa do Cavaliers, segundo o boletim médico divulgado nesta segunda. Isaiah Thomas voltou a correr e a fazer atividades na quadra nos últimos dias. O departamento médico do time de Cleveland examinou o jogador e considerou que não será necessário submetê-lo a cirurgia, pelo menos a princípio.