O Londrina vive a maior crise desde a arrancada que retomou a sua tradição de força do futebol paranaense. Campeão paranaense de 2014, subindo seguidamente da Série D para a Série C e depois para a Série B, batendo na trave do acesso para a primeira divisão por três anos seguidos e candidato ao G4 no início da Segundona deste ano, o Tubarão está perto da zona de rebaixamento. E o gestor do clube jogou ainda mais gasolina na fogueira.

Após a derrota para o Operário por 2×1, neste sábado (12), no estádio do Café, Sérgio Malucelli chutou o balde. Foi ele quem liderou a reconstrução do LEC, permitindo ao clube que hoje tenha um CT que está entre os melhores do País, tranquilidade financeira em relação a salários e uma estrutura sólida. Mas Malucelli nunca teve papas na língua. E o resultado foi uma entrevista bombástica.

+ Confira a classificação completa da Série B!

“Eu não culpo os jogadores, culpo eu mesmo por contratar essas porcarias”, atirou o cartola, que impediu que qualquer atleta ou que o técnico Mazola Júnior falasse depois do jogo com o Fantasma. “Quero pedir desculpas para o nosso torcedor pela vergonha que passamos. Me sinto envergonhado porque perder para os reservas do Operário, o time merece cair mesmo”, reclamou.

Ele prometeu para ‘ontem’ uma lista de dispensas, o que geraria mais uma reformulação no Londrina – durante a Série B, o clube perdeu alguns de seus principais jogadores, como Luquinha e Anderson Oliveira, além da aposentadoria de Dagoberto. “A gente dá tudo que é de bom e do melhor. Se eu fosse jogador, eu pedia para ir embora, se tivesse vergonha na cara”, finalizou Malucelli.

Neste domingo (13) já foram oficializadas as saídas dos zagueiros Diogo Silva e Wallace Acioli e do lateral-esquerdo Juninho, os primeiros nomes da limpa no Tubarão.