Brasília – Pode parecer estranho, mas a capital do País não está preparada para um grande evento de futebol. Na véspera da Supercopa do Brasil, o Flamengo x Athletico que acontece neste domingo (16), às 11h, no Mané Garrincha, o local de treinamento do Furacão surpreendeu pela improvisação.

+ Leia também: Os caminhos da vitória para o Furacão

Se você achar que apenas um bom gramado resolve, tudo bem. O campo do Real Brasília, na Vila Planalto (perto de onde vocês estão pensando), tinha condições boas – pelo que dizem por aqui, melhores que as do estádio Nacional. Mas o local é precário.

Chão de terra batida no acesso da ambulância. Pensa se chover. Foto: Cristian Toledo

+ No podcast De Letra especial, as seleções da década do Trio de Ferro

O estádio do Defelê, como é chamado, fica nos fundos de um restaurante típico nordestino – e, imaginem, nem tá identificado no Google. A entrada é por um pequeno portão, por onde o ônibus do Athletico entrou com dificuldade. Não há asfalto, e sim um trecho de terra até o estacionamento. Nada que lembrasse a pompa com que a CBF (que é a responsável pela logística do evento, incluindo os locais de treino) promove a Supercopa.

Furacão não queria

O Athletico não queria treinar neste sábado (15) em outro local que não fosse o Mané Garrincha. Mas a CBF não liberou, sob a alegação de proteger o gramado do palco da Supercopa. Apenas o técnico Dorival Júnior deve ir ao estádio hoje, para a coletiva conjunta com o flamenguista Jorge Jesus.

Pelo menos o gramado tava bom. Foto: Albari Rosa/Foto Digital

+ Mais da Supercopa: as outras partidas decisivas entre Furacão e Mengo

Para os torcedores do Furacão que foram ao Defelê, valeu a pena. Foi possível ver parte do treino, tirar fotos e ainda abrir os trabalhos do sabadão no restaurante, que abriu mais cedo para aproveitar a presença dos rubro-negros.

+ Confira todos os posts do blog AQUI!