Está cada vez mais difícil uma possível contratação do meia Ronaldinho Gaúcho pelo Coritiba. Na tarde desta terça-feira (17), no Rio de Janeiro, aconteceu uma reunião entre dirigentes alviverdes com o irmão e empresário do jogador, o ex-jogador Assis, mas a falta de consenso dentro do Coxa trava a negociação – que, sem dúvidas, vai onerar o caixa do clube. A reportagem da Tribuna tentou contato com o presidente Rogério Portugal Bacellar e com Assis, que participaram da reunião, mas não obteve retorno.

Leia mais! Os prós e os contras da contratação de Ronaldinho Gaúcho!

Isto porque especula-se que o salário do jogador giraria em torno de R$ 300 mil por mês, mas o clube, por outro lado, poderia ter um ganho considerável com a aquisição de camisas do jogador, além de atrair mais sócios para o seu quadro. Mesmo assim, o que tem pesado é o retorno que o atleta poderia dar em campo, não pela sua qualidade indiscutível, mas por estar inativo há mais de um ano.

Se por um lado o terceiro vice-presidente do Coxa, Alceni Guerra, é favorável à contratação do meia Ronaldinho Gaúcho e chegou a afirmar, na semana passada, que o acordo estava 80% encaminhado, outros dirigentes resistem quando a trazer o jogador de 36 anos para reforçar o Verdão. É o caso do segundo vice-presidente do clube, Gilberto Serpa Griebeler.

“Não existe condições para um jogador inativo há mais de um ano ser inserido em um elenco que está trabalhando muito”, apontou o dirigente, em entrevista à rádio Transamérica. “Esse problema técnico não é meu, é do preparador físico e ele já deixou claro que o Ronaldinho não se encaixa no Coritiba”, finalizou Griebeler. A posição externada pelo cartola é semelhante à do comando do futebol, que não teria sido consultado sobre a contratação – até porque, se fosse, seria contrário.

A contratação de Ronaldinho Gaúcho, se confirmada, vem contra a política confirmada pelo presidente Rogério Portugal Bacellar, que busca o saneamento das finanças do clube e que prometeu não fazer loucuras. Apesar de certo retorno, sobretudo fora de campo, com exposição e marketing, a vinda do R10 divide a cúpula alviverde, desagrada a turma do futebol e a negociação não deve ser concretizada. O Nacional de Montevidéu também já demonstrou interesse na contratação do jogador, e segundo o clube uruguaio as negociações vão se estender até o final de janeiro.