Ainda não será dessa vez que a diretoria do Coritiba, liderada pelo presidente Samir Namur, vai conseguir vender o terreno de Campina Grande do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba (RMC). Os membros do Conselho Consultivo do clube, em reunião realizada em caráter extraordinário na última terça-feira (9), rejeitaram por unanimidade o pedido de alienação da área que tem 450 mil metros quadrados e que, em um primeiro momento, seria o local do novo centro de treinamentos do Coxa.

Com isso, o pedido foi arquivado. O Conselho Fiscal do Coritiba também não teria dado o parecer favorável para a realização do negócio e que renderia um bom dinheiro aos cofres do clube. O terreno foi adquirido em 2011, na gestão do ex-presidente Jair Cirino, pelo valor de R$ 1,7 milhão. Desde então, alguns projetos foram apresentados pelas diretorias que estiveram à frente do Coritiba para a construção do novo centro de treinamentos do clube, mas o alto custo e a reprovação do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para uma das intenções do clube na gestão do presidente Rogério Portugal Bacellar, impediram que a ideia saísse do papel.

+ Leia mais: Coritiba concentra energia na preparação pra Série B

Diante disso, a diretoria do Coritiba segue com um “elefante branco” para administrar. O local conta com um cuidador, mas sem nenhuma atividade.  Por isso, a cúpula alviverde solicitou a autorização para a venda do terreno de Campina Grande do Sul. Os recursos de uma possível comercialização viria em boa hora, já que o clube encontra dificuldades financeiras e considera o acesso à primeira divisão neste ano, na disputa da Série B, fundamental para as finanças do clube nos próximos anos.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do Trio de Ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!