Sempre sincero nas suas declarações, o meia Giovanni admitiu que o Coritiba, se por um lado sustenta oito jogos de invencibilidade, não está tendo boas apresentações. O time coxa-branca tem conseguido resultados, mas sem ter o rendimento já mostrado em outros momentos da Série B do Campeonato Brasileiro. Nos cinco jogos que restam na Série B, o Verdão vai em busca do acesso, independentemente da maneira que o objetivo seja conquistado.

Diante do Sport, por exemplo, dentro do Couto Pereira, o Coritiba foi dominado em alguns momentos e criou apenas duas chances de vencer. Em outras oportunidades, sobretudo com o técnico Umberto Louzer, o time alviverde até tinha desempenho em campo, mas não os resultados esperados.

+ Leia mais: Histórias curiosas pelos estádios é o tema do podcast De Letra; ouça!

“Sou sincero e não está me agradando 100%. Pela qualidade do nosso elenco, a gente precisava ficar mais com a bola no pé, continuar com ela e não correr riscos. Temos que criar mais chances. Mas aqui no Brasil somos cobrados pelos resultados e não pelo desempenho. Com o Umberto (Louzer) a gente tinha um desempenho até um pouco melhor, mas não conseguimos os resultados às vezes”, afirmou o jogador.

Não que a culpa seja do técnico Jorginho, que implantou seu estilo de jogo e cobra dos jogadores que a equipe consiga ficar mais com a bola. Assim, o meia Giovanni afirmou que a culpa pela queda de rendimento é dos jogadores. “O Jorginho pede para ficar com a bola, mas a gente não está conseguindo. Nós que jogamos, a culpa é nossa, dos jogadores. Ele tem passado tudo para a gente e temos que fazer algo diferente. Nós somos os responsáveis por isso”, emendou o camisa 10 alviverde.

+ Confira a tabela e a classificação da Série B!

Diante do Sport, talvez a falta de rendimento seja justificada pelo cansaço. O Coritiba fez três partidas em apenas seis dias, com viagens para Cuiabá e Ribeirão Preto. Mesmo assim, a atuação ficou aquém, sobretudo na questão ofensiva, com poucas chances criadas durante os 90 minutos.

“Concordo com a reclamação do torcedor, ainda mais em casa não conseguindo a vitória. É difícil nessa reta final, a perna está pesando. Tivemos viagens para Cuiabá e Ribeirão Preto. Eu olhava para os meus companheiros e via que faltava perna, que estavam cansados. Não é desculpa e, nas oportunidades que tivemos no jogo, poderíamos ter caprichado mais. Meu chute eu tinha que ter acertado e também nas bolas paradas. Tivemos dificuldades, o cansaço pega um pouco, mas lutamos pela vitória”, finalizou Giovanni.