Grandes jogadores já foram revelados pelo Coritiba na história centenária do clube. Alguns deles não tiveram tempo de conseguir muitos títulos pelo Coxa, mas fizeram uma carreira vitoriosa no Brasil e no exterior.

A Gazeta do Povo e a Tribuna do Paraná separaram as cinco maiores revelações da história do Coritiba e conta o que aconteceu na carreira deles. Veja abaixo e deixe a sua opinião nos comentários se concorda ou não com essa lista.

Alex

Foto: Daniel Castellano, Arquivo Gazeta do Povo

A carreira de sucesso de Alex mostrou tudo que se esperava quando ele foi revelado pelo Coxa na década de 90. O ex-jogador e hoje comentarista esportivo ( e que estuda para ser treinador) foi, entre outros títulos, campeão da Libertadores em 1999 e da Copa do Brasil em 1998 pelo Palmeiras; campeão do Brasileiro e da Copa do Brasil em 2003 pelo Cruzeiro e da Copa América em 1999 e 2004 pela seleção brasileira.

Mas foi no futebol turco que Alex atingiu o seu auge e é reverenciado até hoje, com direito a estátua. Pelo Fenerbahçe foi tricampeão do campeonato turco, bicampeão da Supercopa e campeão da Copa da Turquia. Ele jogou lá entre 2004 e 2012.

No Coritiba, Alex estreou como profissional em 1995, sendo vendido para o Palmeiras dois anos depois por US$ 2,8 milhões (R$ 15 milhões). O primeiro e único título pelo clube ocorreu apenas no retorno, em 2013, quando foi campeão paranaense. Se despediu da carreira como jogador no ano seguinte, ainda atuando no Coxa.

Miranda

Foto: Arquivo Grpcom

O zagueiro surgiu no Coritiba na Copinha de 2004, virando rapidamente titular da equipe principal naquele ano, disputando 110 partidas, incluindo a Libertadores. Foi campeão paranaense daquele ano, único título pelo clube, e vendido em julho de 2005 para o Sochaux, da França, por 2 milhões de euros, o equivalente hoje a R$ 12 milhões.

Passou ainda pelo São Paulo, o Atlético de Madrid e a Inter de Milão, antes de desembarcar na China no ano passado para jogar no Jiangsu Suning, seu atual clube. Entre os títulos por clubes destacam- se o tricampeonato brasileiro pelo São Paulo (2006, 2007 e 2008), além de cinco taças pelo Atlético de Madrid, como o Espanhol de 2014 e a Liga Europa de 2012.

Na seleção brasileira o zagueiro foi campeão da Copa das Confederações de 2009 e da Copa América dez anos depois. Estava no grupo que representou o país na Copa do Mundo de 2018.

Rafinha

Foto: Valterci Santos, Arquivo Gazeta do Povo

Apesar de uma passagem ainda na adolescência pelo Londrina, foi no Coxa que realmente o lateral foi revelado para o futebol brasileiro em 2003. Titular no Brasileiro daquele ano, ajudou a equipe a se classificar para a Libertadores. Foi campeão paranaense em 2003 e 2004, sendo vendido no ano seguinte para o alemão Shalke 04 por 5 milhões de euros (R$ 30 milhões).

Rafinha ainda passou pelo Genoa, mas foi no Bayer de Munique onde se destacou mundialmente a partir de 2011, Em oito anos conquistou 18 títulos, incluindo sete campeonatos alemães, uma Liga dos Campeões e um Mundial de Clubes (os dois últimos em 2013).

Desde junho de 2019 atua pelo Flamengo, onde já foi campeão brasileiro e da Libertadores, entre outros títulos. Disputou cinco partidas pela seleção brasileira.

Adriano

Foto: Arquivo Gazeta do Povo

Revelado em 2002 pelo Coxa, o lateral foi campeão paranaense pelo clube em 2003 e 2004. No início do ano seguinte foi vendido para o espanhol Sevilla por 2,5 milhões de euros (R$ 15 milhões), onde ficou quase seis anos e ganhou seis títulos.

Mas o auge na carreira ocorreu na sequência, quando foi contratado pelo Barcelona em 2010. Em seis anos foram 15 títulos pela equipe catalã, em uma fase histórica para o time espanhol. Entre as conquistas mais importantes estão duas Liga dos Campeões, duas vezes o Mundial de Clubes e quatro vezes o Espanhol.

Adriano passou ainda pelo Besikitas, da Turquia, e desde julho de 2019 está no Athletico, tradicional rival do clube que o revelou. Pela seleção brasileira foi campeão da Copa América de 2004.

Yan Couto

O quinto nome dessa lista ainda tem apenas 18 anos e uma carreira toda pela frente. Porém, já merece entrar na lista das maiores revelações devido ao valor da venda para o Manchester City. O clube inglês irá pagar 6 milhões de euros (R$ 36 milhões), mas o Coxa pode receber até 12 milhões de euros no total por bônus, sendo a maior venda da história do clube.

O lateral se destacou ao ser campeão mundial sub-17 com a seleção brasileira. Pelo Coxa disputou apenas duas partidas, no Paranaense deste ano, e teve a sua passagem pela equipe profissional coxa-branca abreviada por causa da paralisação do futebol decorrente da pandemia do coronavírus. Yan Couto deve se mudar para a Inglaterra em agosto.

+ Mais do Coxa:

+ Matheus Sales pensa em renovação de contrato com o Coritiba
+ Cria do Coritiba, lateral pode render ‘bolada milionária’ ao Coxa
+ Futebol paranaense completa 100 dias sem jogos: confira resumo


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?