O Coritiba adotou a “lei no silêncio” para o clássico de amanhã – às 16h, no estádio Willie Davids, em Maringá. As últimas declarações ocorreram logo após o jogo frente ao Internacional, na quarta-feira, quando o time de Celso Roth conseguiu um empate por 1×1, após estar perdendo por 1×0. Desde então, a comissão técnica comandou treinos fechados e nada de entrevistas. O técnico Celso Roth, porém, não tem grandes opções para modificações profundas no time. Até porque, a disciplina tática vista nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro talvez seja o único ponto forte do Verdão, até aqui.

Perfeccionista, Roth entende que no plano tático o Coritiba está “mais ou menos”. Por isso, e sabendo desse momento de pressão por conta do jejum de vitórias(o time ainda não venceu nenhuma partida no Brasileirão), optou por não deixar vazar nenhuma pista sobre a formação da equipe. A única certeza é a volta do zagueiro Luccas Claro, que só não jogou frente ao colorado gaúcho devido à suspensão pelo terceiro cartão amarelo. Mesmo com Welinton tendo feito uma partida de segurança, Luccas reassume o posto, ao lado de Leandro Almeida.

A linha defensiva coxa, ao que tudo indica, não sofrerá mais nenhuma mudança, apesar das constantes cobranças do torcedor sobre o lateral direito Victor Ferraz. Reginaldo ficou no banco nas últimas jornadas, mas deverá permanecer como opção para o clássico. A rigor, as indagações maiores estão em relação ao setor ofensivo. Chico e Baraka são os volantes de confiança de Roth e Alex é peça insubstituível. A partir daí, qualquer mudança é até provável.

Gil e Robinho seguem em tratamento no departamento médico e nas últimas partidas o treinador testou Norberto, Roni, Jajá e Geraldo nas funções. O angolano, visto como talismã (principalmente em Atletibas) pelo torcedor, corre por fora. Já no ataque reside a maior dúvida. Zé Love está mal, Keirrison não tem condições para 90 minutos e Júlio César está voltando agora de lesão. O desfecho do quebra-cabeças só teremos amanhã, momentos antes do clássico na Cidade Canção.